Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Grupo protesta em NY em apoio às passeatas no Brasil

O protesto foi organizado no Facebook e, até o início da noite, a página na internet apontava em torno de 1,1 mil pessoas confirmadas para participar. Mas, segundo um dos organizadores, havia 300 manifestantes

Por Da Redação 17 jun 2013, 23h53

Um grupo de centenas de brasileiros se reuniu no início da noite desta segunda-feira, na Union Square, uma praça movimentada de Manhattan, em Nova York, em um ato de apoio às manifestações no Brasil. Também estava marcado um ato semelhante em Chicago.

Em Nova York, o protesto foi organizado no Facebook e, até o início da noite, a página na internet apontava em torno de 1,1 mil pessoas confirmadas para participar. A reportagem esteve na Union Square e observou um número bem menor de ativistas. Segundo um dos organizadores, havia 300 manifestantes.

Na praça nova-iorquina, o grupo portava cartazes em inglês e português falando do preço alto do transporte público brasileiro e pedindo para que os norte-americanos boicotem a Copa do Mundo, em 2014, no Brasil. Os manifestantes, cantando o Hino Nacional e muitos com a cara pintada, despertaram a atenção de curiosos que passavam no local. “É a nossa forma de ajudar o que está acontecendo no Brasil, inclusive divulgando aqui nos Estados Unidos”, disse uma estudante de São Paulo que preferiu não se identificar.

Na terça-feira, estão marcadas manifestações de apoio aos brasileiros em outras cidades norte-americanas. San Diego e São Francisco, na Califórnia, terão encontros semelhantes. No domingo, segundo os organizadores, houve um ato em Boston e uma manifestação menor, no Central Park, em Nova York.

Ao vivo: Acompanhe a manifestação em São Paulo

Mês de protestos – Uma série de manifestações tem ocorrido por todo o território brasileiro devido ao aumento das passagens de ônibus e insatisfação da população em relação aos gastos com a Copa das Confederações e a Copa do Mundo de 2014. Na semana passada, em São Paulo, manifestantes entraram em conflito com a Polícia Militar, que proibia a invasão da Avenida Paulista. A cena foi marcada pela violência dos policiais e diversos atos de vandalismo. No Rio de Janeiro, assim como em outras partes do país, os manifestantes protestam também contra a repressão policial.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade