Clique e assine a partir de 8,90/mês

Greve de rodoviários no DF atinge 200.000 pessoas

Cerca de 2.000 funcionários cruzaram os braços porque estão com salários atrasados; empresa alega não ter pago benefícios porque DFTrans não repassou recursos

Por Andressa Lelli - 6 nov 2014, 10h26

Uma greve de rodoviários da Viação Pioneira atinge cerca de 200.000 passageiros no Distrito Federal nesta quinta-feira. Cerca de 2.000 funcionários decidiram paralisar os coletivos em razão do não pagamento de salários e vale alimentação, que deveriam ter sido depositados na quarta-feira.

A empresa alega que não repassou os benefícios aos funcionários porque o órgão responsável, o Distrito Federal Transporte (DFTrans), não depositou os recursos para a viação. Os 640 coletivos da companhia atendem a Bacia 2, que compreende as regiões de Itapoã, Paranoá, Jardim Botânico, Lago Sul, Candangolândia, Park Way, Santa Maria, São Sebastião e Gama.

“Efetivamente nós devemos à Viação Pioneira”, admitiu o diretor-geral do DFTrans, Jair Tedeschi. No entanto, ele afirmou que não é pela falta de um repasse que a empresa não possa “honrar seus compromissos”, até porque, segundo ele, as outras quatro companhias que fazem o transporte de passageiros pagaram seus funcionários. Tedeschi afirmou que os valores que o DFTrans deve à Viação Pioneira são referentes a um mês e meio de atrasos. Tanto a viação quanto o DFTrans não informaram prazo para que a circulação de ônibus volte ao normal.

Leia também:

Greve para ônibus por duas horas – e afeta 1 mi em São Paulo

Na última quarta-feira, a cidade de São Paulo também sofreu reflexos de uma paralisação temporária de motoristas de ônibus. Os coletivos deixaram de circular por mais de duas horas, o que fatou 1 milhão de pessoas.

Continua após a publicidade
Publicidade