Clique e assine a partir de 9,90/mês

Greve de motoristas de ônibus prejudica 2 milhões em SP

Por Da Redação - 31 jan 2012, 06h41

Os motoristas e cobradores de ônibus da capital paulista suspenderam durante a manhã a paralisação iniciada às 3 horas da madrugada desta terça-feira. Mais de 8.000coletivos, de 32 garagens, não foram para as ruas durante o período. A decisão de se retornar ao trabalho foi tomada em assembleia realizada um pouco antes das 6 horas.

O número de passageiros prejudicados pode ter chegado a 2 milhões. São 6,1 milhões de pessoas que utilizam os ônibus diariamente em São Paulo. A categoria ameaça parar novamente no próximo dia 6, quando deve ocorrer outra assembleia. Segundo a São Paulo Transportes (SPTrans), em razão do número altíssimo de ônibus parados, não foi possível colocar em operação o Plano de Apoio entre as Empresas em Situação de Emergência (Paese).

O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo afirma que o ato foi um protesto contra as multas aplicadas pela Prefeitura de São Paulo nas empresas de ônibus por falta de qualidade de serviço e que depois são descontadas dos salários dos trabalhadores. Os sindicalistas querem que os motoristas sejam punidos apenas com multas previstas no Código de Trânsito Brasileiro e não com as sanções do Regulamento de Sanções e Multas (Resam). Segundo o sindicato, a prefeitura aplica cerca de 400 multas diárias nas empresas de ônibus.

(Com Agência Estado)

Publicidade