Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Greca obtém 53,38% dos votos e é o novo prefeito de Curitiba

Com 100% das urnas apuradas, o adversário, Ney Leprevost, do PSD, amealhou 46,62% do total de votos

Por Nicole Fusco - 30 out 2016, 17h32

Depois de uma disputa acirrada, Rafael Greca (PMN) é o novo prefeito de Curitiba. Ele foi eleito, neste domingo, com 53,38% do total dos votos, enquanto Ney Leprevost (PSD) amealhou 46,62%.

Leprevost e Greca estavam empatados tecnicamente, segundo as pesquisas eleitorais. De acordo com o último Ibope, o candidato do PMN tinha 41% das intenções de voto, enquanto Leprevost apareceu com 40%.

Ex-prefeito de Curitiba, Greca podia ter ganhado a disputa ainda no primeiro turno, mas despencou nas pesquisas depois de declarar, já na reta final da campanha, ter vomitado ao sentir o cheiro de um morador de rua. O cenário deste segundo turno também foi diferente do que previam as pesquisas: o candidato à reeleição Gustavo Fruet (PDT) aparecia como o segundo mais votado, mas saiu de cena depois de receber 20,02% dos votos em 1 de outubro – Leprevost obteve 23,66% do total.

Ocupações

A votação deste domingo também foi marcada pelas ocupações nas escolas estaduais da capital paranaense. Ao todo, 147 locais de votação mudaram em Curitiba. A medida atingiu 533.733 eleitores, segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR).

Publicidade

Neste sábado, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, disse que os manifestantes que ocupam escolas no país não podem desrespeitar o direito dos eleitores. “É legítimo que se façam protestos, mas é preciso também respeitar os direitos que devam ser exercidos [pelos eleitores]. É preciso que haja a devida medida e acho que devemos pensar nisso de uma maneira crítica”, disse Mendes, durante cerimônia de verificação dos sistemas de urnas eletrônicas.

Publicidade