Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo substitui helicóptero usado por Dilma

Por Tânia Monteiro

Brasília – Já está à disposição da presidente Dilma Rousseff o novo helicóptero francês batizado de VH-36 Caracal, com capacidade para 10 passageiros e três tripulantes, comprado ainda na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao preço de aproximadamente 30 milhões de euros, cerca de R$ 75 milhões. Um outro helicóptero igual a este chegará ao Brasil dentro de um ano, e será uma espécie de reserva para uso da Presidência da República. Os helicópteros Caracal irão substituir os dois antigos Super Puma, adquiridos em 1992, que até hoje serviram à presidente.

Com autonomia de até quatro horas e meia e possibilidade de voo de até cerca de mil quilômetros, o novo helicóptero modelo EC 725 possui os mais modernos equipamentos de navegação aérea e satélite, com comunicação de dados entre aviões, quatro pilotos automáticos (o anterior tinha três), baixíssimo nível de ruído, GPS de ultima geração, rádios de comunicação duplicados e sistema especial de telefonia. O Caracal possui maior espaço interno e a sua cabine tem duas partes: uma, vip, com quatro assentos executivos, onde andará a presidente, e seis bancos atras comuns, onde seguirão auxiliares. Os pilotos que operarão estes novos aparelhos já passaram por treinamentos de adaptação e estão aptos a voá-los. Nas duas ultimas semanas, o Caracal foi submetido a avaliação operacional em Brasília. Os helicópteros ficam no GTE – Grupo de Transportes Especiais, no Comando da Aeronáutica.

A compra deste helicóptero fez parte de um pacote de E$ 1,9 bilhão (euros), cerca de R$ 5,2 bilhões, adquirido pelo Ministério da Defesa, junto à Eurocopter francesa, que prevê a venda de 50 helicópteros, com transferência de tecnologia para a Helibrás. De acordo com o presidente da Helibras, Eduardo Marson Ferreira, a expectativa é de o índice de nacionalização dos helicópteros chegue a 50% até o ano de 2014.

Dos 50 helicópteros, dois são para a Presidência, na versão vip civil e 48 militares, sendo 16 para cada Força, distribuídos entre equipamentos de plataforma operacional e básica. A Marinha, por exemplo, terá helicópteros para missões de buscas em alto mar, com sofisticados equipamentos, que custará cerca de E $ 40 milhões (euros), E$ 10 milhões (euros) a mais que a versão da presidente Dilma. As demais versões militares custam aproximadamente os mesmo 30 milhões de euros do helicóptero presidencial.