Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Governo federal vai retomar busca por desaparecidos na serra do Rio

Grupo criado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência vai reunir informações com famílias para tentar localizar corpos. Número de mortos pode ser maior que o oficial

Por Da Redação 6 ago 2012, 12h04

O governo federal vai retomar as buscas por desaparecidos na tragédia das chuvas da região serrana do Rio, que deixou cerca de mil mortos em janeiro de 2011. A ação é liderada pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, de acordo com reportagem publicada na edição desta segunda-feira do jornal carioca Extra. A ministra Maria do Rosário Nunes, da secretaria de Direitos Humanos, determinou a criação de uma ‘força-tarefa’, integrada por advogados, assistentes sociais e psicólogos que vão atuar junto às famílias que ainda reclamam seus desaparecidos.

O número oficial é de 191 desaparecidos. Mas a suspeita é de que mais corpos estejam sob as montanhas de lama e pedras que desceram das em costas em 12 de janeiro do ano passado. O EXTRA cruzou informações de registros de endereço da concessionária Ampla e do IBGE que apontam, por exemplo, mais de 1.200 moradores em uma área de 250 residências no bairro Campo Grande, em Teresópolis. Dessas, apenas 64 casas continuaram de pé depois da tragédia.

Para a nova fase de buscas, serão acionados três Centros de Referência em Direitos Humanos (CRDH) próximos das cidades mais afetada. Os centros serão os de Nova Iguaçu, Petrópolis e Juiz de Fora (MG). As cidades mais atingidas pelo temporal de janeiro de 2011 foram Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo. Em toda a região, os sinais da tragédia ainda estão por toda parte. Em Teresópolis, uma nova chuva, em abril deste ano, causou mais mortes e destruição.

LEIA TAMBÉM:

Chuva volta a provocar mortes na região serrana do Rio

Bairros destruídos pela chuva cresceram sobre riachos

Continua após a publicidade
Publicidade