Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo federal descarta novos repasses de recursos a Roraima

Ministro evitou admitir que os problemas no estado estão sendo agravados pela momento político-eleitoral

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, descartou a possibilidade de o governo federal repassar novos recursos para Roraima, como pleiteia a governadora, Suely Campos (PP), que quer mais 184 milhões de reais para ressarcir o estado dos gastos com os venezuelanos.

“O governo federal já destinou 187 milhões de reais, só na área de saúde, para o governo de Roraima e para os municípios de Roraima e, destes 187 milhões de reais, ainda existe um saldo de quase 70 milhões de reais não usados”, declarou o ministro.

Etchegoyen informou que o Planalto recebeu a nova pauta de pedidos da governadora e disse que eles estão sendo analisados. Mas sinalizou que não há previsão de atendimento de nenhuma das reivindicações.

Em relação ao fechamento da fronteira com a Venezuela, o ministro voltou a afirmar que “não há nenhuma perspectiva” disso acontecer.

“Ao contrário, ao Advocacia-Geral da União está respondendo a pretensão de Roraima no Supremo Tribunal Federal com uma negativa, para que não se feche a fronteira”, prosseguiu o general Etchegoyen, reconhecendo, no entanto, que existem estudos em relação a este pedido que foi apresentado não só pela governadora, como pelo seu adversário na política local, o senador Romero Jucá (MDB-RR), líder do governo no Senado.

Na entrevista concedida ao final de mais uma reunião de avaliação e discussão sobre providências para minimizar a questão da entrada de venezuelanos em Roraima, com a participação do presidente Michel Temer e ministros ou representantes de sete pastas, o ministro do GSI evitou admitir que os problemas no estado estão sendo agravados pela momento político-eleitoral.

“Eu prefiro que nos concentremos nos problemas que temos a resolver: a monumental crise humanitária criada pelas decisões do governo venezuelano e a necessidade prioritária de garantir bem-estar e segurança dos brasileiros em Roraima ou qualquer lugar. E, se por trás disso, o pano de fundo é uma questão eleitoral, isso não está na nossa equação. Nós temos de resolver o problema tecnicamente. Por isso foi uma comissão técnica pra Roraima, para tratar o tema tecnicamente”, declarou.

A governadora Suely Campos, que está em uma queda de braço com o governo federal, principalmente por conta das disputas políticas locais, encaminhou ao Planalto outra lista com novos pedidos. Além de mais recursos, ela pede que seja editada uma medida provisória exigindo passaporte para que os venezuelanos entrem no Brasil. Os cidadãos dos países do Mercosul podem ingressar no Brasil apenas com documento de identidade.

O ministro Etchegoyen respondeu a esta demanda explicando que ela “não teria efetividade” porque levaria pelo menos 60 dias para entrar em vigor, por conta dos acordos internacionais e até bilaterais, com a própria Venezuela, que prevê que qualquer mudança dos critérios de admissão nas fronteiras tem uma carência de 60 dias, ou seja, só pode entrar em vigor em 60 dias.

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Social Democrata

    O certo seria fechar a fronteira pois já temos problemas demais aqui e não temos condições infelizmente de ajudar ninguém. Falta tudo para nosso povo e ainda vamos ficar fazendo gracinha? Não temos saúde, educação, segurança, infraestrutura, saneamento e etc. Primeiro o nosso povo. Quem tinha que arcar com isso era o PT, Lula e Dilma que apoiaram a vida toda Hugo Chávez, Maduro e outros bandidos.

    Curtir