Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Governo e hotéis antecipam vacinação contra meningite

A decisão foi tomada depois que um surto da doença na Costa do Sauípe deixou três trabalhadores mortos e quatro internados

Por Da Redação
13 set 2011, 16h50

Em reunião realizada na manhã desta terça-feira, em Salvador, o governo da Bahia, representado pelos secretários de Saúde, Jorge Solla, e Turismo, Domingos Leonelli, além dos empresários do setor hoteleiro do litoral norte do estado, decidiram antecipar o plano de vacinação contra a meningite dos trabalhadores dos hotéis e pousadas da região.

De acordo com os empresários, o cronograma previa a vacinação dos funcionários dos estabelecimentos – entre 10 mil e 12 mil pessoas – para antes da Copa do Mundo de 2014.

Com o recente surto de meningite registrado na Costa do Sauípe na última semana, que deixou três trabalhadores mortos e quatro internados – um deles em estado grave -, representantes dos hotéis e resorts e do governo do estado decidiram iniciar a vacinação o quanto antes.

De acordo com o plano, o governo do estado e os empresários vão dividir a conta da compra das vacinas – na rede de clínicas privadas, cada uma custa 70 reais, em média.

Continua após a publicidade

“Estamos verificando quem tem condições de fornecer as vacinas para que possamos dar início à campanha”, disse Firmo Azevedo, presidente da Associação Comercial e Turística de Praia do Forte, um dos destinos mais procurados da região. “Não existe motivo de preocupação maior para os visitantes, já que a situação está controlada”.

Segundo o secretário Jorge Solla, o trabalho de profilaxia com antibiótico realizado com os 1,8 mil funcionários da Costa do Sauípe teve bom resultado. “Já passamos de 72 horas sem notificação de novos casos de meningite, o que sinaliza que o bloqueio do avanço da doença foi eficaz”, afirmou.

De acordo com a secretaria, a vacinação contra a meningite não foi aplicada imediatamente nos funcionários do complexo hoteleiro porque ela não tem efeito imediato no organismo. Depois de receber a dose, o corpo demora cerca de duas semanas para desenvolver a defesa para a bactéria causadora da forma mais grave de meningite, o tipo C – a que contaminou os funcionários do resort na semana passada. A vacinação dos trabalhadores de Sauípe, porém, já havia sido acordada entre a direção do complexo e a Secretaria de Saúde.

Continua após a publicidade

(Com Agência Estado)

LEIA TAMBÉM

Três pessoas morrem depois de contraírem meningite do tipo C em hotéis da Costa do Sauípe

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.