Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo de SP encontra nova reserva no Cantareira

Com estimados 40 bilhões de litros d'água, reserva equivaleria à quarta cota do volume morto, diz jornal. Mas ainda não se sabe se captação será possível

O governo de São Paulo encontrou, abaixo do atual nível de captação do Sistema Cantareira, uma nova reserva de água – e que pode representar a quarta cota do volume morto do reservatório, informa reportagem desta terça-feira do jornal Folha de S. Paulo. A reserva, contudo, está em local de difícil acesso, e técnicos da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) ainda avaliam se é possível captar água dali.

Leia também:

Datafolha: 60% apoiam rodízio de água em São Paulo

“O aquecimento global não é o vilão da crise hídrica de São Paulo”

Jundiaí: a cidade paulista onde não falta água

Segundo o jornal, a dimensão da reserva ainda não foi calculada, mas estima-se que seja similar à da terceira cota do volume morto, cerca de 40 bilhões de litros. De acordo com a reportagem, o uso da nova reserva representaria um acréscimo de cinco pontos porcentuais no total do sistema, o equivalente a um mês e meio de fornecimento de água.

Com o sistema atualmente operando com 6,1% da capacidade – já incluídas a primeira e segunda cotas -, o governo Geraldo Alkmin (PSDB) avalia utilizar o terceiro volume morto durante o período de seca, que começa em maio.

O Cantareira abastece 6,2 milhões de pessoas na Grande São Paulo, sobretudo nas zonas Norte e Leste. E é justamente nas regiões atendidas pelo manancial que deve ter início o rodizio de água. O formato do racionamento, contudo, ainda não foi decidido pela Sabesp, que estuda cortar entre cinco e quatro dias por semana o abastecimento para dois dias com água.