Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo Alckmin reajusta em até 7,1% tarifa de ônibus da EMTU

Presidente da EMTU diz que aumento é para "equilibrar os contratos" com a concessionária; mudança entra em vigor no próximo domingo

Após congelar tarifa básica do trem e do metrô, o governo Geraldo Alckmin (PSDB) decidiu reajustar em até 7,1% o preço das passagens de ônibus em 571 linhas operadas pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) em São Paulo.

Além disso, o governador instituiu a cobrança de tarifa de integração de 1 real nos terminais Diadema, Piraporinha, São Mateus, da EMTU, e de 1,12 real nos terminais Capão Redondo e Campo Limpo, do Metrô. As medidas entram em vigor a partir do próximo domingo.

O presidente da EMTU, Joaquim Lopes da Silva Júnior, afirmou nesta quinta-feira que a tarifa para acessar os terminais é para “equilibrar os contratos” com a concessionária. Ele concedeu entrevista no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, onde ocorria um evento sobre saúde pública. Presente, Alckmin não respondeu sobre o assunto.

“Em 2012, nós transferimos para o concessionário algumas obrigações adicionais, por exemplo, a manutenção da rede aérea dos 33 quilômetros de corredor”, disse. “É uma despesa anual de 17 milhões de reais, agora estamos reequilibrando”.

Silva Júnior classificou como “desigual” a relação entre os municípios atendidos pelo Corredor ABD. Segundo afirma, os passageiros pagam “tarifa de integração cheia” nos Terminais de Santo André, São Bernardo, Mauá, na Grande São Paulo, além do Jabaquara, na zona sul da capital. “Nos Terminais Diadema, Piraporinha e São Mateus, a transferência era livre”, afirmou.

Segundo o presidente da EMTU, a medida vai impactar menos de 10% dos 288.000 usuários do Corredor ABD. “Não seria correto dividir as despesas para todos os outros passageiros. São 27.000 passageiros não pagando nada”, disse.

Veja também

Inflação e variação de preço dos insumos, como mão-de-obra e combustível, também foram motivos apontados por Silva Júnior para justificar o reajuste nas tarifas da EMTU, que faz parte do sistema estadual.

Questionado por que a gestão João Doria (PSDB) conseguiu anunciar o congelamento da tarifa, ao contrário do Estado, o presidente disse que se tratam de “modelos diferentes”. “O sistema metropolitano não tem nenhum subsídio, é zero subsídio. Portanto, a receita arrecadada tem de cobrir os custos”, afirmou Silva Júnior. “Essa é, basicamente, a razão.”

“A gente já ressarce, por força de lei, duas outras gratuidades: o Passe Livre e o Sênior Paulista. São 160 milhões de reais por ano, 120 milhões de reais só na Grande São Paulo. Solicitar mais recurso (ao governo estadual) não nos pareceu razoável”, disse o presidente da EMTU.

Em dezembro, uma das propostas estudadas pela equipe de transição de Doria para garantir o congelamento da tarifa na cidade de São Paulo era reduzir a entrada de ônibus da EMTU e obrigar os passageiros que chegam de cidades vizinhas a pegar um coletivo municipal. Dessa foram, aumentaria a receita tarifária da prefeitura.

“Formalmente, não nos foi apresentado nenhum estudo nesse sentido”, afirmou Silva Júnior, ao responder se as medidas tinham relação com a proposta de Doria. “Mas estamos disposto a rever nossa rede.”

Nos últimos dias do ano passado, Alckmin e o prefeito de São Paulo decidiram aumentar em 14,8% a tarifa integrada de ônibus com metrô ou trem. A partir do dia 8 de janeiro, o passageiro que fizer a transferência de ônibus para um dos transportes sobre trilhos vai pagar 6,80 reais e não mais 5,92 reais. A tarifa básica de 3,80 reais ficará congelada no ano que vem, medida prometida por Doria em sua campanha à prefeitura e também seguida por Alckmin ontem.

Veja como fica o reajuste por área de concessão do EMTU:

Área 1 – Consórcio Intervias

Municípios: Juquitiba, São Lourenço da Serra, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Embu, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista e Cotia

Reajuste médio: 6,65%

Área 2 – Consórcio Anhanguera

Municípios: Cajamar, Caieiras, Itapevi, Jandira, Carapicuíba, Osasco, Barueri, Santana de Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Francisco Morato e Franco da Rocha

Reajuste médio: 6,58%

Área 3 – Consórcio Internorte

Municípios: Guarulhos, Arujá, Mairiporã e Santa Isabel

Reajuste médio: 7,18%

Área 4 – Consórcio Unileste

Principais municípios: Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá, Mogi das Cruzes, Guararema, Biritiba Mirim, Salesópolis e Suzano

Reajuste médio: 6,64%

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. EPAMINONDAS TERÊNCIO

    Um dos melhores governadores que o Estado já teve!
    Só espero que,quando a situação do País melhorar,ele olhe com carinho o funcionalismo público sob seu comando!

    Curtir

  2. César Augusto

    Alguém tem que pagar as “bondades” que os outros recebem. Igual aos otários que trabalham e pagam imposto para sustentar o bolsa presidiário!

    Curtir

  3. Gilberto Goes Junior

    Melhor Governador Aonde EPAMINONDAS vc deve ser Funcionário Publico do Governo Alckimin,Mais de 25 Anos de PSDB nesse Estado como um Câncer Está Ótima Segurança,Saúde Educação,só sabe Fazer Pedágio,do qual Financiam as Campanhas do PSDB,Acabou com as Industrias do ABC o ICMS mais Caro do Pais,Mata o Micro Empresario com seus Lindos Pedágios

    Curtir