Clique e assine a partir de 9,90/mês

Google presta homenagem ao escritor argentino Jorge Luis Borges

Por John Macdougall - 24 ago 2011, 18h35

O motor de busca na internet Google prestou homenagem, nesta quarta-feira, a Jorge Luis Borges, nos 112 anos de seu nascimento, modificando o tradicional logotipo da página inicial com um desenho inspirado em dois contos do célebre escritor argentino.

O logotipo ‘doodle’, com a versão, foi incluído nas telas de apresentação de todas as versões mundiais.

Inspira-se nos contos “A Biblioteca de Babel” e “O jardim dos caminhos que se bifurcam”, mostrando a imagem de um ancião de terno e bengala, que olha através de um labirinto de escadas, edifícios e bibliotecas.

A idéia de Borges era a de uma biblioteca em que todos os possíveis livros existissem, representando o universo em sua infinitude, sendo impossível para qualquer ser humano conhecer um pedaço significativo do todo, por mais dedicado que fosse em sua busca.

Continua após a publicidade

Assim, numa tradução literal, um dos extratos deste conto diz que “O universo (que outros chamam a Biblioteca) compõe-se de um número indefinido, e talvez infinito, de galerias hexagonais, com vastos poços de ventilação no meio, cercados por varandas baixíssimas. De qualquer hexágono se veem os andares inferiores e superiores: interminavelmente”, escreveu Borges.

“Pensei num labirinto de labirintos, em um sinuoso labirinto crescente que abarcasse o passado e o futuro e que implicasse de algum modo os astros”, descreveu em “O Jardim…”.

Um dos autores mais famosos do mundo nasceu no dia 24 de agosto de 1899, e soube misturar em suas obras fantasia e realidade; seus contos e poemas constituem peças únicas da literatura universal.

O criador de “El Aleph”, “Fervor por Buenos Aires” e “Ficciones’, faleceu no dia 14 de junho de 1986, aos 86 anos em Genebra, onde foi enterrado.

Continua após a publicidade

Com seus originais ‘doodles’, o Google já homenageou, entre outros, a escritora sueca Astrid Lindgren, criadora de Pippi Longstocking, o escritor Robert Louis Stevensor, o músico Manuel de Falla e a pintora mexicana Frida Khalo.

Entre os ‘doodles’ mais originais estava o preito ao escritor Julio Verne, no qual se podia viajar no oceano profundo, através do Nautilos.

Publicidade