Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Gil Rugai era demitido com frequência pelo pai, diz irmão

Leo Rugai afirmou que o irmão é inocente; julgamento chegou ao terceiro dia

Leo Rugai, de 27 anos, irmão de Gil Rugai, acusado de ter matado o pai e a madrasta em 2004, afirmou nesta quarta-feira que o réu era demitido da produtora do pai com frequência. “Acho que era uma forma de meu pai educar o Gil. Às vezes, ele cometia um erro e era demitido”, afirmou.

Como era comum o desligamento de Gil Rugai da empresa, Leo disse que nem chegou a notar que ele havia sido demitido em definitivo depois que o pai teria descoberto um suposto desvio de dinheiro.

Ele se referiu ao irmão como “uma figurinha” para justificar ao júri o material encontrado no quarto do suspeito nas investigações, como seringas com sangue e uma suástica. O depoimento de Leo encerrou o terceiro dia de julgamento de Rugai depois de oito horas de audiência. Para ele, o irmão é inocente.

A acusação não quis fazer perguntas à testemunha.

Leia também:

Juiz convoca sócio de Gil Rugai para depor em julgamento

Defesa relaciona morte do pai de Rugai ao tráfico de drogas

Julgamento – Além de Leo, nesta quarta-feira foram ouvidas cinco pessoas: uma antropóloga especialista em júri, um jornalista, um perito do Instituto de Criminalística (IC), um contador da produtora do pai do acusado e o vigia que trabalhava próximo a casa das vítimas. Duas testemunhas foram dispensadas pela defesa.

Na quinta-feira, estão previstas mais três testemunhas chamadas pelo próprio juiz do caso: um ex-sócio de Gil Rugai e um motorista e um vigia da vizinhança onde moravam as vítimas. Segundo a assessoria do Tribunal de Justiça, ele deverá decidir nesta quinta sobre a possibilidade de ouvir apenas uma delas.

Crime – Para a promotoria, Rugai assassinou com tiros nas costas o próprio pai, Luís Carlos Rugai, e a madrasta, Alessandra Troitino, por dinheiro, em março de 2004. Ele teria sido descoberto em um esquema de desvio de valores na produtora de vídeo do pai, que pretendia denunciá-lo à polícia.

Ao contrário dos dias anteriores, nesta quarta-feira Gil Rugai entrou no Fórum Criminal da Barra Funda pelos fundos para evitar a imprensa. No dia anterior, Rugai havia sido abordado pelos jornalistas e disse que é inocente.