Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Garoto comentou com colega que não gostava da professora, diz delegada

Segundo diretores, o menino de 10 anos que atirou contra Rosileide de Oliveira nunca apresentou mau comportamento. O pai da criança será ouvido

A delegada Lucy Mastellini Fernandes, titular do 3º Distrito Policial de São Caetano do Sul, na região metropolitana de São Paulo, descobriu que o menino D.M.N., de 10 anos, comentou com um colega de sala que não gostava da professora Rosileide Queiros de Oliveira, 38 anos. Na tarde desta quinta-feira, D.M.N. atirou contra Rosileide e, em seguida, contra a própria cabeça.

A policial ainda não conseguiu confirmar se a declaração é verídica. O guarda civil municipal Nilton Nogueira, pai de D.M.N, está a caminho do 3º DP, onde o boletim de ocorrência está sendo registrado, para prestar depoimento. Ele vai esclarecer se é sua a arma utilizada pelo garoto, um revólver calibre 38.

No local do crime, a delegada encontrou duas cápsulas de bala, o que, segundo ela, deixa claro que o garoto deu dois tiros ─ um contra a professora e outro contra si. De acordo com Lucy, uma diretora da Escola Professora Alcina Dantas Feijão informou que D.M.N.. nunca apresentou mau comportamento. “Os funcionários da escola estão surpresos com o que aconteceu”, disse.

Nesse instante, os diretores do colégio estão reunidos e os funcionários telefonam para as famílias dos 1.900 alunos para avisar que as aulas foram suspensas até amanhã. A professora Rosileide de Oliveira não corre risco de vida.

LEIA TAMBÉM:

Criança de 10 anos atira contra professora e depois se mata