Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ganhos do MP, Cabral e partidos políticos nas manchetes do dia

Pesquisa revela que 97% dos membros do MP de São Paulo receberam vencimentos acima do teto do funcionalismo público em 2015

Por Da redação 28 abr 2017, 08h25

Vencimentos do Ministério Público (MP) de São Paulo acima do teto do funcionalismo público e depoimento do ex-governador Sérgio Cabral ao juiz Sérgio Moro estão nas manchetes dos jornais nesta sexta-feira. Levantamento publicado pela Folha de S.Paulo mostra que 97% dos membros do MP tiveram ganhos maiores de R$ 33,7 mil em 2015. No jornal O Globo, reportagem principal destaca que Cabral reconheceu uso de caixa dois, mas negou ter recebido propina. Em O Estado de S.Paulo, entrevistados dizem que cláusula de barreira ajudaria a reduzir a fragmentação de partidos políticos no país.

Folha de S.Paulo
97% do Ministério Público de SP recebe acima do teto
Pesquisa da FGV-SP aponta que 97% dos membros do Ministério Público paulista receberam, em 2015, vencimentos acima do limite constitucional do funcionalismo, que é de R$ 33,7 mil. O ganho deve-se a “penduricalhos” (gratificações, auxílios e indenizações) previstos em lei ou em decisões judiciais. Esses extras, somados aos salários, geraram um custo superior a R$ 421 milhões para os cofres estaduais.

O Globo
Cabral alega que só usou caixa 2 e exime a mulher
Réu em sete processos por corrupção, o ex-governador Sérgio Cabral negou ter recebido propina, mas admitiu uso de dinheiro de caixa dois para comprar artigos pessoais de luxo. Ex-governador disse que tal prática ‘é um fato da vida nacional’. Cabral se negou a responder a perguntas do juiz Sergio Moro, atendendo apenas a questões de sua defesa.

Tráfico manda nas ruas; Pezão pede ajuda
Bandidos do Morro do Turano obrigaram ontem o fechamento de boa parte do comércio da Tijuca. No rastro de violência dos últimos dias, moradores de várias comunidades, como Alemão e Cidade de Deus, tiveram a rotina alterada por tiroteios. O governador Pezão voltou a dizer que precisa de ajuda do governo federal.

O Estado de S.Paulo
Número de partidos tem de cair em 2018, dizem analistas
Especialistas que participaram do Debate Estadão: A Reforma Política que Queremos afirmaram que mudanças no sistema político-partidário são medidas urgentes. Citada por todos, a cláusula de barreira ajudaria a reduzir a fragmentação partidária existente no país. Atualmente, há 35 partidos em atividade e outros 57 com pedido de autorização no Tribunal Superior Eleitoral. 

Valor Econômico
Greve geral é teste para aprovação das reformas
Centrais sindicais e movimentos populares, apoiados por mais de 90 categorias profissionais, prometem para esta sexta-feira a maior greve geral dos últimos 20 anos no país, com protestos previstos nos 26 Estados e no Distrito Federal contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Estado de Minas
O teto não é o limite
Os ministros do Supremo Tribunal Federal decidiram, por 10 votos a um, que o teto salarial estabelecido pela Constituição deve ser aplicado a cada salário isoladamente e não à soma das remunerações. O teto de ganhos para funcionários públicos no país corresponde ao salário dos próprios ministros do STF, hoje de R$ 33,7 mil.

Continua após a publicidade

Publicidade