Funcionários da Vale e da Tüv Süd deixam penitenciária em MG

Na última terça-feira, os ministros do STJ determinaram, por unanimidade, a soltura dos cinco por não haver 'fundamentos idôneos' para as prisões

Por Da Redação - Atualizado em 7 fev 2019, 17h27 - Publicado em 7 fev 2019, 17h26

Os três funcionários da Vale e os dois engenheiros da Tüv Süd que estavam presos desde o dia 29 de janeiro, em virtude do rompimento da barragem da mina do Feijão, em Brumadinho (MG), deixaram a penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, na tarde desta quinta-feira, 7. A barragem pertencia à mineradora e teve a estabilidade atestada pela empresa alemã.

Os cinco deixam a prisão depois de o Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinar, na terça-feira 5, a soltura deles. Por unanimidade, os ministros da Sexta Turma do STJ entenderam que, apesar da gravidade dos fatos e da comoção pública com a tragédia, não houve fundamentos idôneos para as prisões. 

Segundo o último boletim divulgado pela Defesa Civil de Minas Gerais na tarde desta quarta-feira, 6, o número de mortos subiu para 150. Outras 182 vítimas estão desaparecidas. Ao todo, 134 corpos foram identificados e outros 16 ainda seguem sem reconhecimento.

Publicidade