Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Franziska Hübener é investigada por sonegação fiscal

Uma ação conjunta da Polícia Civil e da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo investiga nesta quinta-feira a loja de calçados e bolsas de luxo Franziska Hübener, no Shopping Iguatemi, na capital paulista. A loja está sob suspeita de ter sonegado pelo menos 3 milhões de reais em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Os policiais estão cumprindo mandados de busca e apreensão. A operação ainda envolve outros endereços da marca, como a ponta de estoque na Vila Olímpia e a loja de fábrica, no bairro do Bom Retiro.

A Secretaria Estadual de Segurança Pública informa que o delegado responsável pela operação é Hélio Bressan, da 1ª Delegacia de Crimes contra a Fazenda. Caso comprovada a sonegação fiscal, a loja pode ser multada em até 12 milhões de reais. Bressan explica que, desde 2007, quando a marca teve sua inscrição cassada, ela comercializa produtos sem recolher tributos.

A Franziska Hübener, que exporta para vários países e é comparada a grifes como Manolo Blanik e Jimmy Choo, já é o terceiro templo do luxo investigado por crimes financeiros em São Paulo. Em 2005, a Operação Narciso da Polícia Federal descobriu um esquema de sonegação da Daslu que resultou, no ano passado, na condenação da empresária Eliana Tranchesi a 94,5 anos de prisão por formação de quadrilha, falsidade ideológica e descaminho. Ela aguarda julgamento de recurso em liberdade.

No mês passado, a Operação Porto Europa investigou a empresária Tânia Bulhões, dona da loja de decoração e perfumes que leva seu nome. A PF alega que a marca está envolvida em esquemas de subfaturamento ou descaminho dos produtos vendidos.