Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

França: manifestantes protestam em Nice contra reunião do G-20

Milhares de pessoas protestaram nesta terça-feira em Nice sob o lema “os povos primeiro, não as finanças”, dois dias antes da Cúpula do G-20 em Cannes, a 30 km da cidade, onde se reunirão os chefes de Estado e de governo de economias desenvolvidas e emergentes.

Esta manifestação que reuniu 5.400 pessoas, segundo a polícia, e 10.000, segundo os organizadores, marcou o início da “cúpula dos povos”, que será realizada na quinta-feira em Nice, em resposta ao G20 de quinta e sexta-feira em Cannes, cuja região urbana foi cercada por um impressionante e estrito dispositivo de segurança.

“Tiremos dos ricos para dar aos pobres. Queremos uma distribuição de renda melhor”, afirmou um dos manifestantes, Benjamin Lemesle, de 23 anos, vestido como Robin Wood e levando uma bolsa que simbolizava a bolsa de valores.

Como ele, jovens procedentes de vários pontos da França, mas também da Espanha, México ou Grã-Bretanha, participaram da manifestação durante a qual exigiam, entre outras reivindicações, uma taxa às transações financeiras.

Convocada por cerca de 40 associações e sindicatos, a manifestação foi realizada em Nice, a 30 km de Cannes, onde na quinta e sexta-feira se reunirão os líderes das potências mundiais e das economias emergentes, entre estas China, Índia, Brasil e Argentina.

“Eles são 20. Nós somos milhões”, afirmavam os cartazes levantados pelos manifestantes. “Mudar o sistema, não o planeta”, dizia outro um pouco mais longe. “Os povos se levantam frente às finanças”, clamava outro.

Um impressionante dispositivo de segurança formado por cerca de 2.000 policiais foi mobilizado para vigiar o desenvolvimento da manifestação – que foi limitada a uma região do nordeste de Nice, longe do centro da cidade -, e impedir que grupos tentem quebrar o mobiliário urbano.

No total, cerca de 12.000 policiais foram mobilizados à região por conta da reunião do G20.

No entanto, a afluência de pessoas satisfez os organizadores.

“O resultado foi além do que prevíamos”, afirmou Franck Gaye, porta-voz do coletivo que organizou a manifestação, horas antes da qual a polícia prendeu três espanhóis munidos de máscaras contra bombas de gás e camisetas com a inscrição “black cross”, um grupo anarquista, segundo um porta-voz do Ministério do Interior.

Dois belgas foram presos horas antes da manifestação portando máscaras de gás, bolas de aço e uma faca.

Conferências, debates e atividades de rua ocorrerão nesta “contra-cúpula” de Nice que pede mais justiça social, denuncia a especulação, os paraísos fiscais e a desregulamentação financeira.

“Não há nenhuma transparência nem lógica democrática, e tampouco legitimidade. Os chefes de Estado e de governo de 20 países decidem a sorte de 7 bilhões de seres humanos e impõem planos de austeridade às populações”, declarou Franck Gaye.