Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Força Nacional nunca fez tantas operações em terras indígenas

Ações aumentaram de forma expressiva a partir de 2021, devido a invasões, assassinatos e garimpos ilegais

Por Tulio Kruse 16 fev 2022, 12h09

Invasões criminosas e ameaças de morte fizeram com que, no início deste ano, a Força Nacional de Segurança Pública tenha batido um recorde de operações em terras indígenas. A corporação, criada em 2004 e que reúne PMs, policiais civis, bombeiros militares e peritos estaduais, nunca fez tantas ações de segurança ao mesmo tempo para proteger índios em suas terras tradicionais.

Atualmente, a Força Nacional está à frente de 26 operações, das quais 10 ocorrem em terras indígenas. Para se ter uma ideia do nível de mobilização acima da média, a Força havia conduzido um total de 22 ações do tipo entre 2004 e 2020. A corporação passou a agir principalmente a partir de 2021, após o aumento de invasões, do desmatamento e da abertura de garimpos nas áreas protegidas por lei.

Em alguns casos, ocorreram mortes violentas nas comunidades mesmo após a chegada da Força Nacional. Na terra indígena Yanomami, entre Amazonas e Roraima, a associação das tribos que vivem no local denunciaram o assassinato de dois indígenas isolados por garimpeiros em setembro do ano passado. Em outubro, eles relataram que duas crianças morreram afogadas por causa da ação de uma draga utilizada no garimpo ilegal no local. Os yanomami estimam que cerca de 20 mil garimpeiros hoje vivam dentro do que é a maior terra indígena do Brasil. A Força Nacional foi acionada pela primeira vez em junho de 2021 para trabalhar na segurança do local. Uma nova portaria do ministro Anderson Torres, do início deste mês, determinou que a força retorne para o lugar.

Na semana passada, o ministério também determinou uma operação na terra indígena Piripkura, onde vivem os dois últimos remanescentes da etnia piripkura. Ali, há grandes porções de terra desmatadas para a agropecuária. A Justiça Federal já havia determinado a retirada dos invasores em julho do ano passado.

A maior parte das operações da Força Nacional está em estados da região Norte. As 26 operações se concentram em Pará, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Amazonas, Paraná, Rio Grande do Sul e Acre. Ao todo, são 850 agentes de segurança mobilizados. 

O Ministério da Justiça e da Segurança Pública diz que as ações da Força em terras indígenas têm dado resultado na forma de multas, prisões e apreensões. “Somente em 2021, as operações da Força Nacional em Terras Indígenas, ambientais e de combate a incêndios florestais, auxiliaram na aplicação de quase R$ 30 milhões em multas ambientais; apreensão de 42.000 litros de combustível; 31.000 quilos de pescados; 4.529 m³ de madeira serrada e tora apreendidas; 969 animais apreendidos; 1.976 kg de minérios apreendidos; 190 pontos de incêndios combatidos; 91 prisões em flagrante, entre outros”, afirma o ministério, em nota.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês