Filho de Sérgio Cabral, deputado é condenado por improbidade

Defesa de Marco Antônio Cabral afirma que decisão tem fins eleitorais

Por Bruna Motta - 5 out 2018, 19h09

O deputado federal Marco Antônio Cabral, filho do ex-governador Sérgio Cabral, foi condenado pela Justiça Federal do Rio por ter usado a prerrogativa de parlamentar para visitar o pai na prisão fora de dias e horários permitidos. De acordo com a denúncia do Ministério Público, Marco Antônio esteve 23 vezes no presídio de Bangu 8 – em 11 delas, ele estava licenciado do mandato por integrar o secretariado do governador Pezão.

Ele foi condenado por improbidade administrativa. A sentença do juiz Ricardo Levy Martins, da 11ª Vara Federal determina a perda da função pública do deputado e o pagamento de multa de 337 mil reais.

Autor da ação, o procurador Gustavo Magno Albuquerque, afirmou que o deputado deu “23 ‘carteiradas’ para burlar normas que devem ser respeitadas pelos visitantes de presídios e abusou das prerrogativas que recebeu do povo para o exercício do mandato parlamentar.”

A assessoria de Marco Antonio Cabral, que é candidato à reeleição, afirmou que ele não cometeu nenhum ato de improbidade, e que irá recorrer da decisão, classificada de “abuso de autoridade”. De acordo com a nota, a condenação “tem o único objetivo de influenciar o processo eleitoral e demonstra clara perseguição política.”

Publicidade