Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fernandinho Beira-Mar é transferido para presídio de Catanduvas

Chefão do tráfico estava na penitenciária de Porto Velho e desembarcou no início da tarde em Cascavel. Mudança seria rodízio de rotina do sistema penitenciário federal

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 20 set 2012, 19h44

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi transferido nesta quinta-feira para a Penitenciária Federal de Catanduvas, no Paraná. Considerado um dos mais perigosos chefes de quadrilha de venda de drogas e armas da América Latina, Beira-Mar estava na Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Porto Velho, em Rondônia, desde fevereiro.

O traficante chegou no início da tarde ao Aeroporto Municipal de Cascavel, em um avião da Polícia Federal, e foi escoltado por carros do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) até Catanduvas. A transferência do criminoso, que está preso desde 2001, exigiu um forte esquema de segurança, que incluiu policiais federais e agentes penitenciários.

Segundo o Depen, a transferência foi um procedimento normal de segurança. Ainda de acordo com o Departamento, é rotina o sistema penitenciário fazer rodízios de presos. Desde que foi preso na Colômbia, Beira-mar já passou por presídios em Brasília, no Rio, em Maceió, em Florianópolis, em Campo Grande, entre outros.

Em todas as mudanças de carceragem, houve pressão de políticos locais contra a presença do traficante, além de manobras de advogados para tentar trazê-lo de volta para o Rio. Em setembro de 2002, Beira-Mar liderou de Bangu I um motim que acabou com a morte de quatro presos. O traficante é acusado de ter ordenado, após a rebelião, uma série de ataques no Rio.

LEIA TAMBÉM:

De dentro do presídio, Fernandinho Beira-Mar consegue lavar o dinheiro da quadrilha

Continua após a publicidade
Publicidade