Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Falha no sistema elétrico foi a causa do incêndio na Antártida, diz embaixador

Frederico Cezar de Araujo reiterou que a ordem da presidente Dilma Rousseff é começar "o mais rápido possível" o trabalho de reconstrução da estação

Por Da Redação 27 fev 2012, 12h43

Dois dias depois do incêndio que destruiu a Estação Comandante Ferraz, na Antártida, as autoridades brasileiras homenageiam os dois militares mortos e intensificam as investigações sobre as causas do acidente. Em entrevista a Agência Brasil, o embaixador do Brasil no Chile, Frederico Cezar de Araujo, disse que as apurações preliminares indicam que uma falha no sistema elétrico gerou o incêndio na base. O diplomata também reiterou que a ordem da presidente Dilma Rousseff é começar “o mais rápido possível” o trabalho de reconstrução da estação.

“Um inquérito será aberto e conduzido pelo Ministério da Defesa”, informou Araújo. “Mas há informações preliminares de que houve uma falha no sistema elétrico. Ao que tudo indica, houve um defeito. Infelizmente, havia duas pessoas no local, que acabaram falecendo. Mas, por sorte, a maioria conseguiu se salvar.

Os dois oficiais da Marinha que morreram, o suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e o sargento Roberto Lopes dos Santos, receberão uma homenagem do governo brasileiro ainda na base de pesquisas do Chile, de onde os corpos serão transportados pelo Hércules C-130 para o Brasil. A previsão é de que o avião com os corpos chegue ao Brasil entre a noite desta segunda-feira e a manhã de terça.

Araujo pemanecerá na região de Punta Arenas, na costa do Chile, até amanhã. “Nosso ponto de apoio é a base de pesquisas do Chile”, disse. “De lá monitoramos e tomamos as providências necessárias. Por ordem da presidente Dilma Rousseff, a base será reconstruída o mais rápido possível”.

Oposição – Nesta segunda-feira, o PPS anunciou que vai pedir a convocação dos ministros da Defesa, Celso Amorim, e de Ciência e Tecnologia, Marco Antonio Raupp, para debaterem, em audiência pública na Câmara dos Deputados, o acidente na Comandante Ferraz. O partido quer discutir também a redução de recursos para o Proantar (Programa Antártico Brasileiro), o menor dos últimos sete anos. O pedido de audiência vai ser apresentado pelo deputado federal Dimas Ramalho (PPS-SP) na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional.

Continua após a publicidade
Publicidade