Clique e assine com até 92% de desconto

Exército reforçará segurança em São Paulo durante a Copa

Estado receberá reforço de 4.000 homens. Eles serão distribuídos entre as cidades que abrigarão seleções para o Mundial

Por Da Redação 2 jun 2014, 09h17

Ao menos 4.000 homens do Exército ajudarão no policiamento do Estado de São Paulo durante a Copa do Mundo. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), aceitou a ajuda oferecida pelo governo federal na última sexta-feira. A presidente Dilma Rousseff ofereceu aos governadores das doze cidades-sede policiamento extra para reforçar a segurança.

Nesta segunda-feira, Alckmin deve se reunir com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, na Secretaria da Segurança paulista, para definir como e onde os homens do Exército irão agir. Cardozo conversou pessoalmente com Alckmin e ressaltou a importância do reforço de patrulhamento nas ruas. O Exército já está à disposição do governo paulista.

O Exército se somará aos quase 90.000 homens da Polícia Militar no Estado. Cardozo lembrou que todo o trabalho durante o Mundial será feito “com integração” e que todos os atores “já têm seus papéis claramente definidos”.

A presidente Dilma acionou as Forças Armadas depois que manifestantes protestaram agressivamente contra as seleções, como aconteceu no Rio, na semana passada, no desembarque do time brasileiro. Dilma quer o Exército nas ruas ostensivamente.

Leia também:

O país da Copa está em greve

Continua após a publicidade

Black blocs prometem caos na Copa com ajuda do PCC

São Paulo receberá quinze seleções, que ficarão espalhadas por doze cidades. Algumas delas precisam de atenção especial e segurança reforçada, caso dos Estados Unidos e do Irã, que ficarão na capital e em Guarulhos, respectivamente, e da Rússia, que ficará hospedada em Itu, mesma cidade que receberá o Japão.

Como nas demais cidades em que as seleções de futebol também ficarão hospedadas, a determinação em São Paulo é de que os homens do Exército fiquem visíveis, de forma ostensiva, nos trajetos por onde passarão seleções e autoridades. Haverá reforço policial também nos aeroportos, bases aéreas, hotéis e centros de treinamento nas cidades paulistas que receberão seleções. Estão previstas pelo menos 500 escoltas.

Estratégia – No dia da abertura da Copa, que será realizada na Arena Corinthians, na Zona Leste da cidade, além de homens do Exército ficarem de prontidão nos quartéis e nos diferentes pontos das cidades por onde passarão seleções e autoridades, a tropa federal ajudará também na escolta de torcedores VIPs, com motocicletas e helicópteros. As forças de operações especiais do Exército também foram chamadas para ajudar no reforço à segurança.

Os reforços das Forças Armadas serão enviados também para Santos, onde ficarão México e Costa Rica, para Porto Feliz, onde se hospedará Honduras, para Ribeirão Preto, que receberá a França, para Campinas, que abrigará Portugal e Nigéria, para o Guarujá, com a Bósnia-Herzegovina, para Águas de Lindoia, que hospedará a Costa do Marfim, para Mogi das Cruzes, que receberá a Bélgica, para Cotia, que abrigará a Colômbia, e para Sorocaba, que vai receber a Argélia.

Além de São Paulo, o Rio de Janeiro e o Rio Grande do Norte também aceitaram apoio das tropas federais.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade