Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Ex-prefeitos do PT sofrem revés nas capitais

Dos quatro petistas que tentavam retornar ao comando de prefeituras, apenas um avançou ao segundo turno

Por Felipe Frazão Atualizado em 2 out 2016, 22h48 - Publicado em 2 out 2016, 22h45

A derrocada nacional do PT nas eleições municipais era um dado esperado depois do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e do avanço da Operação Lava-Jato sobre o maior líder do partido, o ex-presidente Lula, tornado réu em duas ações penais. O partido esperava, porém, reverter o quadro em ao menos quatro capitais em que lançou ex-prefeitos com recall para tentar recuperar prefeituras de peso eleitoral. Não deu certo.

Em Porto Alegre (RS), Raul Pont ficou de fora do segundo turno, com 16,37% dos votos válidos, o terceiro lugar. Pont contou com o apoio (para o bem ou para o mal) de Dilma, que foi para a capital gaúcha depois de deixar Brasília e gravou participação no programa de TV dele. Em Fortaleza, nem a presença de Lula fez a ex-prefeita Luizianne Lins chegar perto do segundo turno: ela terminou na terceira colocação, com 15,06% dos votos. Em Porto Velho (RO), Roberto Sobrinho não computou votos, porque a Justiça Eleitoral cassou o registro da candidatura dele, considerado ficha suja.

Restou com esperança petista entre os velhos quadros do partido o ex-prefeito de Recife (PE) João Paulo. Ele avançou ao segundo turno com 23,76% dos votos válidos contra 49,34% do prefeito Geraldo Julio (PSB).

Publicidade