Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ex-judoca olímpico, Mário Sabino é morto por colega sargento da PM

Segundo a PM, ex-atleta foi assassinado pelo sargento Agnaldo Rodrigues, que teria se suicidado em seguida; causas ainda estão sob investigação

Por Da Redação - Atualizado em 26 out 2019, 14h52 - Publicado em 26 out 2019, 12h39

O cabo da Polícia Militar e ex-judoca olímpico Mário Sabino, de 47 anos, foi morto pelo colega Luciano Agnaldo Rodrigues, sargento da PM, na noite desta sexta-feira, 25, no bairro Jardim Niceia, em Bauru, município no centro-oeste do estado de São Paulo. As informações preliminares, segundo a polícia, apontam que Sabino foi assassinado depois de um desintendimento, levando o sargento Agnaldo a se suicidar em seguida. Contudo, as motivações da briga ainda estão sob investigação.

VEJA entrou em contato com a Polícia Civil de Bauru, mas, até o fechamento dessa nota, o orgão não havia recebido informações do caso por se tratar de um crime entre policiais militares. Sabino foi medalhista de ouro nos Jogos Pan-americanosde 2003 em Santo Domingo, na República Dominicana, e de bronze no Mundial de Osaka, no Japão, em 2003. O ex-atleta representou o Brasil nas Olimpíadas de Sydney, na Austrália, em 2000, e em Atenas, na Grécia, em 2004, além de ter sido auxiliar técnico da delegação brasileira nos jogos de Londres, na Inglaterra, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016.

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) lamentou a morte do ex-atleta em nota oficial. “A Confederação Brasileira de Judô expressa seu mais profundo pesar e consternação pela perda repentina e trágica de um judoca, amigo e professor. Mário Sabino Júnior será lembrado para sempre e com carinho por toda a família do judô brasileiro”, informa o texto.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade