Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

EUA: George Zimmerman recorre à internet para se defender

Por Joe Raedle 30 abr 2012, 15h55

O advogado de defesa de George Zimmerman, acusado do assassinato do jovem negro Trayvon Martin, morte que indignou a comunidade afro-descendente, abriu neste fim de semana um site, uma página do Facebook e uma conta no Twitter para informar sobre o caso.

Mark O’Mara, advogado de Zimmerman, reconheceu que era uma iniciativa “inusual”, mas que devido ao interesse pelo caso e seu impacto nas redes sociais, tenta incentivar uma “comunicação social, assim como um enfoque ético e responsável e profissional do caso nesses novos meios”.

O site “gzlegalcase.com” explica que entre seus objetivos está acabar com a desinformação existente sobre esse assassinato que dividiu a opinião pública americana ao cutucar a ferida do proconceito racial.

O advogado quer que o público em geral saiba dos fatos em primeira mão para dessa forma acabar com as especulações, eliminar sites fraudulentos que surgiram na rede em nome de Zimmerman, oferecer um fórum de discussão e arrecadar fundos para a defesa de seu cliente.

George Zimmerman, de 28 anos, cujo pai é americano e a mãe peruana, é acusado do assassinato em segundo grau do adolescente negro Trayvon Martin de 17 anos, que estava desarmado no momento em que o vigia voluntário disparou contra ele em 26 de fevereiro em Sanford, centro da Flórida.

Zimmerman pagou há duas semanas 10% de uma fiança de 150.000 dólares e ficou em liberdade condicional enquanto eram realizadas audiências preliminares para decidir sobre um eventual julgamento contra ele.

O vigia disse que disparou contra Martin após ser atacado, portanto se amparou na lei da Flórida “Defenda sua Posição”, que permite às pessoas que portam armas defender-se com força letal caso se sintam ameaçados de morte ou de serem gravemente feridos.

O caso causou indignação na comunidade afro-americana, porque Zimmerman foi detido brevemente na noite do crime e se passaram seis semanas para serem apresentadas acusações contra ele.

Continua após a publicidade
Publicidade