Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

ES decreta emergência, e o prefeito de Vila Velha viaja

Estado tem cinco mortos e mais de 20.000 desabrigados ou desalojados. Rodney Miranda, que estava em Nova York, antecipou retorno após críticas

Por Da Redação - 22 dez 2013, 10h56

Um dia depois de o governo do Espírito Santo decretar situação de emergência pelas chuvas, o prefeito de Vila Velha, uma das cidades mais atingidas, anunciou que vai antecipar seu retorno de viagem. Ele tem sido alvo de muitas críticas desde que embarcou com a família, na última quinta-feira, para Nova York, onde passaria o Natal. Em vez de voltar somente no dia 29, como estava programado, Rodney Miranda chega neste domingo e já para segunda programou uma reunião para discutir a situação do município, que estava sob o comando de seu vice.

“Eu tinha certeza que todo o trabalho seria executado com eficácia neste período de chuvas, porque a equipe é competente e o vice-prefeito (Rafael Favatto) estaria à frente de todas as decisões, naturalmente me consultando por telefone ou por e-mail quando necessário. Mas ao chegar ao meu destino fiquei muito incomodado, não conseguia parar de pensar nas consequências das chuvas, e então concluí que foi um equívoco a decisão de viajar”, declarou, ao site da prefeitura, dizendo ainda nunca ter medo de reavaliar suas decisões.

Emergência – O Estado, atingido desde quarta-feira por temporais, contabiliza cinco mortos e mais de 20.000 desabrigados e desalojados em 50 das 78 cidades. No sábado, o governador Renato Casagrande decretou situação de emergência. O objetivo, disse ele, é facilitar medidas emergenciais, evitando entraves burocráticos e permitindo maior integração com o governo federal no combate às consequências das tempestades. Elas deixaram sob a água bairros inteiros de cidades como Vila Velha, onde o deslocamento só é possível por barco ou trator.

“A prioridade ainda é preservar vidas, mas temos muitos estragos em rodovias federais e estaduais, além das vias municipais e, por isso, precisamos de todo o apoio para levar suprimentos, materiais de limpeza, colchões, enfim, para todo o trabalho de ajuda humanitária”, declarou o governador, após reunião com o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira, e auxiliares. Das cinco mortes, duas foram confirmadas no sábado, por soterramento, em Paraju, distrito de Domingos Martins, e Laranjal, distrito de Itaguaçu.

Publicidade
Uma cratera se formou na rodovia ES-010, em Jacaraípe no Espírito Santo
Uma cratera se formou na rodovia ES-010, em Jacaraípe no Espírito Santo VEJA

Leia também:

Dilma libera R$ 10 milhões para estragos da chuva no Rio

Cabral, Pezão e os factoides contra as chuvas de verão

Rio, cidade submersa: obras recém-inauguradas não resistem à primeira chuva

Publicidade

Bolsa tragédia: com obras atrasadas, Rio faz do aluguel social um benefício permanente para vítimas da chuva

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade