Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Em Porto Alegre manifestantes protestam para evitar aumento

Manifestantes querem não apenas manter o valor da passagem em R$ 2,85, mas também que ele seja reduzido

Por Da Redação 13 jun 2013, 21h33

Em Porto Alegre, capital gaúcha, manifestantes iniciaram protesto contra um possível aumento da passagem de ônibus por volta das 18 horas desta quinta-feira. A manifestação ocorre ainda que o Tribunal de Contas do Estado tenha garantido no início da tarde que as tarifas permanecerão em R$ 2,85. Parte dos baderneiros concentrou-se em frente ao prédio da prefeitura, que foi isolada pela Guarda Municipal. De acordo com o site do jornal Zero Hora, depois de sair da prefeitura, as pessoas andaram por algumas das vias de trânsito da cidade. Houve pichações em diversos estabelecimentos comerciais, bancos tiveram vidros quebrados e ônibus foram depredados.

A Brigada Militar e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) acompanham o trajeto da manifestação. Ainda segundo a Zero Hora, entre os manifestantes há integrantes de movimentos sociais e estudantis, além de partidos de esquerda. A palavra de ordem é: “Se a passagem aumentar, a cidade vai parar”. O protesto ocorre não apenas para manter o valor da passagem em R$ 2,85, mas também para pressionar que o valor seja reduzido de acordo com a isenção do PIS/Confins, anunciado pelo Ministério da Fazenda no mês passado.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) emitiu, na tarde desta quinta-feira, uma medida cautelar determinando que a Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC) mantenha o valor da tarifa de transporte público urbano em R$ 2,85.

Polícia cerca manifestantes e blinda Avenida Paulista

Manifestantes ocupam Av. Rio Branco, no Centro do Rio

São Paulo – Nesta quinta-feira, manifestantes entraram em confronto com a PM pela quarta vez em uma semana, capital paulista. O grupo desrespeitou o roteiro combinado com a Polícia Militar, que proibia justamente a “invasão” da Avenida Paulista, que possui sete hospitais, acesso a diversas estações de metrô, além de shoppings e estabelecimentos comerciais. A exemplo dos atos anteriores, a manifestação tornou-se dispersa e violenta após as duas primeiras horas, deixando um rastro de depredação e vandalismo no percurso e degenerando em choque com a polícia. Por volta das 19h20, a PM teve de usar bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha para conter um grupo que lançou rojões e pedras contra policiais no cruzamento na Rua da Consolação. Na região central, os arruaceiros montaram barricadas com sacos de lixo incendiados. Pelo menos 149 pessoas foram presas.

Rio de JaneiroCentenas de manifestantes tomaram a Avenida Rio Branco, no Centro do Rio de Janeiro, contra o aumento das passagens de ônibus na cidade – que passaram de 2,75 para 2,95 reais no último dia 1º. O protesto, que começou por volta das 18 horas desta quinta-feira, foi convocado pelo Facebook, em um evento no qual mais de 13.000 pessoas confirmaram presença.

Continua após a publicidade
Publicidade