Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Em greve há 6 dias, viação Oak Tree vai à falência em SP

Funcionários da empresa de ônibus que atende Zona Oeste da capital paulista paralisaram atividades para exigir pagamento de salários e benefícios atrasados

Por Da Redação - 5 set 2013, 06h30

Enfrentando problemas financeiros, a empresa da ônibus Oak Tree, que atende a Zona Oeste de São Paulo, decidiu fechar as portas definitivamente após quase uma semana da greve decretada pelos motoristas e cobradores da companhia. A informação foi confirmada pela Prefeitura da capital paulista na noite desta quarta-feira. Os funcionários da empresa planejavam manter nesta quinta-feira, pelo sexto dia seguido, a paralisação iniciada no sábado passado. Eles exigem o pagamento de salários e benefícios atrasados.

De acordo com a São Paulo Transporte (SPTrans), que gere o sistema de ônibus de São Paulo, todos os 83 carros da Oak Tree permanecem sem funcionar. A empresa é responsável por nove linhas, utilizadas diariamente por mais de 42 000 pessoas. Em mais um dia de desfalque no transporte público da Zona Oeste, ônibus reservas do Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese) estão circulando para atender os usuários.

A frota emergencial, nos últimos dias operando com 45 veículos, foi elevada para 62 ônibus segundo a SPTrans. Um acordo entre a Oak Tree e a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Estado de São Paulo prevê a transferência dos funcionários para as novas empresas que assumirem as linhas. Na noite desta quarta, a SPTrans informou que o Consórcio Sudoeste, formado pelas viações Transppass e Gato Preto, assumirá as linhas até então operadas pela Oak Tree, que atendia as regiões de Rio Pequeno, Jardim Adalgiza, Jaguaré e Raposo Tavares.

Publicidade