Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em depoimento, testemunha-chave contradiz “Dr Bumbum”

Taxista levou Lilian até a cobertura e conversou com Dr Bumbum após o procedimento estético da bancária Lilian Calixto

Um taxista que levou a bancária Lilian Calixto até a cobertura do médico Denis Furtado, conhecido como Dr Bumbum, revelou ao Fantástico, da Rede Globo, informações que contradizem aquelas apresentadas pelo médico em seu depoimento à polícia. Furtado está preso desde a última quinta-feira por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e associação criminosa pela morte de Lilian. O Fantástico também mostrou imagens da fuga do médico, na madrugada de segunda-feira 16, no estacionamento de um shopping da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

Segundo o taxista, que não teve o nome revelado pela reportagem, o procedimento agendado por Lilian seria feito no final da tarde do dia 14 de julho, porém, ela havia cedido seu lugar a outra paciente de Furtado, e só foi atendida por volta de 21 horas, quando escreveu ao taxista: “mais uma hora e acabou”. O motorista havia se comprometido a esperá-la até o final do procedimento. Entre 22h10 e 22h30, ele viu uma movimentação de carros saindo do edifício onde estava Lilian, e foi perguntar ao porteiro do prédio sobre a razão da saída dos veículos. Ouviu do porteiro que Furtado era um dos que havia acabado de sair. Às 23 horas, o taxista enviou outra mensagem a Lilian: “Já estou preocupado. A senhora está bem?” . Pouco tempo depois, o taxista afirmou ter avistado a chegada de Furtado ao prédio. Disse tê-lo abordado e perguntado sobre Lilian. A resposta do médico foi a de que havia levado a paciente para jantar e, depois, para seu hotel. E seguida, segundo o taxista, a secretária (e namorada) de Furtado apareceu e entregou 300 reais a ele pela corrida, depois de fazê-lo assinar um recibo em que dizia ter recebido o valor da própria Lilian. Somente no dia seguinte o taxista soube que a passageira havia morrido.

A versão é contraditória com a que foi apresentada pelo médico, que afirmou ter feito o procedimento na bancária entre 18 e 19 horas, e que tudo havia demorado por se tratar de algo “invasivo”. Daí o fato de a paciente ter dado entrada no hospital somente às 22h55. Mas a versão do taxista se mostrou mais condizente com as provas coletadas, segundo a delegada Adriana Belém, que cuida do caso. Furtado afirmou, em depoimento, que levou Lilian ao hospital porque ela havia sentido enjoo e queda de pressão. Já no prontuário de entrada na clínica, médicos atestaram taquicardia e dificuldade de respirar.

Lilian se submeteu a um procedimento estético nos glúteos e morreu na madrugada do dia 15. Depois de ser considerado foragido, Furtado foi preso na tarde de quinta-feira. Segundo a Polícia Militar do Rio de Janeiro, ele foi localizado em um centro empresarial na Barra da Tijuca e foi encaminhado para a 16ª DP. Sua mãe, Maria de Fátima, também foi presa.

Os dois foram foram localizados após informações repassadas pelo Disque-Denúncia, que recebeu 31 ligações sobre o caso. A polícia chegou a oferecer mil reais de recompensa em troca de indicações que levassem ao paradeiro do médico.

Conhecido como Dr. Bumbum, Denis tinha mais de 655 mil seguidores no Instagram, rede social na qual publicava fotos com os resultados de seus procedimentos cirúrgicos. A conta na rede social foi apagada.