Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em Belo Horizonte, prefeito contraria PSB e fecha com PSDB

Marcio Lacerda oficializou apoio a Pimenta da Veiga, candidato ao governo de Minas pelo PSDB; na semana passada, Tarcísio Delgado foi indicado pelo PSB para a disputa

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), reafirmou seu apoio ao candidato ao governo de Minas Gerais pelo PSDB, Pimenta da Veiga. Lacerda já havia informado sua posição, mas a divulgação oficial ocorreu só nesta segunda, quatro dias depois de o diretório mineiro do PSB decidir pela candidatura própria com Tarcísio Delgado.

No início do encontro, o prefeito leu uma carta endereçada à direção estadual do PSB. “Coerência na vida pessoal e na vida pública. (…) Pautado por essa coerência, externo a minha total discordância com a decisão da Executiva Estadual do PSB de lançar candidatura própria a governador nas eleições deste ano. Tal decisão desconhece a história política que vem sendo construída para os avanços que Minas Gerais têm alcançado ao longo dos últimos anos. (…). Em nome da coerência, faço um apelo à Executiva Estadual do PSB para que reavalie a decisão de lançar candidatura própria ao governo do Estado”, diz o documento.

Leia também:

Candidato oficial, Campos poupa FHC e Lula e ataca Dilma

Rachado, PSB lança candidatura própria em Minas Gerais

Campos e Marina enfrentam palanques confusos nos Estados

Lacerda disse que não conversou com Eduardo Campos, que disputará a Presidência pelo PSB, sobre a sua decisão. “Na quinta-feira passada, telefonei para o secretário-geral nacional do partido, Carlos Siqueira, para falar que a decisão de candidatura própria prejudicaria as eleições de deputados estadual e federal”, declarou. “A questão regional em pouco a ver com a questão nacional. Alianças regionais estão acontecendo de formas diferentes das nacionais em todos os partidos”, disse.

O prefeito de Belo Horizonte ainda comentou que, nas eleições de 2012, a direção nacional do PSB insistia em uma aliança com o PT na capital mineira, e o diretório estadual do PSB não aceitou. “Nessa época uma aliança dessa não era coerente para Minas”, disse. “A relação entre governo e capital sempre foi pacífica dentro do jeito mineiro de agir. Pimenta é uma pessoa de altíssimo nível e mantém o diálogo”, completou.

(com Estadão Conteúdo)