Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dono de Land Rover é impedido de vender casa

Roberto de Souza Lima, dono do carro que matou Vítor Gurman, pretendia desfazer-se do bem para evitar o pagamento de pensão à família da vítima

O engenheiro Roberto de Souza Lima, dono do veículo Land Rover que causou a morte do administradir Vítor Gurman, 24 anos – atropelado na Vila Madalena, em São Paulo, em julho deste ano -, foi proibido pela Justiça de vender sua casa no Alto de Pinheiros, Zona Oeste da capital paulista. O pedido de indisponibilidade de bens foi feito pelos pais e pela avó da vítima. Segundo os autores, Lima estaria se desfazendo de seu patrimônio para evitar o pagamento de indenizações e pensão.O juiz Régis Rodrigues Bonvicino atendeu parcialmente o pedido, pois não tornou indisponível todo o patrimônio do acusado.

Na madrugada de 23 de julho, a nutricionista Gabriella Guerrero, de 28 anos, retornava de uma casa noturna com Roberto Lima, seu namorado, quando perdeu o controle da direção e atropelou Vitor Gurman na Rua Natingui. O jovem foi levado ao Hospital das Clínicas e ficou em coma por alguns dias. Em 28 de julho, não resistiu e acabou morrendo.

No dia do acidente, a nutricionista, suspeita de estar alcoolizada, foi levada ao 14º Distrito Policial de Pinheiros e indiciada por lesão corporal e embriaguez ao volante. Depois da morte de Burman, Gabriela compareceu à delegacia, no dia 5 de agosto, na companhia do advogado José Luiz Oliveira Lima.

Na ocasião, ela foi indiciada pelo delegado Ricardo Cestari também por homicídio doloso, quando há intenção de matar. A nutricionista pôde responder ao processo em liberdade e não teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendida. Também não foi fixada nenhuma fiança.

(Com Agência Estado)

Leia também:

Para ministro do STF, embriaguez não agrava crime no trânsito

“Gabriella está abaladíssima”, diz advogado

Desrespeito a pedestres gera só três multas por dia