Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dona de restaurante é morta ao sair de banco na Gávea

Maria Cristina Bittencourt Mascarenhas, sócia do Guimas, acabara de sacar 13.000 reais em banco próximo ao restaurante

A empresária Maria Cristina Bittencourt Mascarenhas, de 56 anos, foi morta nesta quinta-feira durante um assalto na Gávea, Zona Sul do Rio, a poucos metros do restaurante Guimas, do qual era sócia com o marido, Chico Mascarenhas. Segundo o delegado titular da Divisão de Homicídios, Rivaldo Barbosa, Cristina levou um tiro na cabeça. Aparentemente, a empresária tentou segurar a bolsa ao ser abordada por um assaltante na Praça Santos Dumont. O criminoso, então, atirou.

Maria Cristina tinha acabado de sacar 13.000 reais no banco Bradesco, ao lado do Shopping da Gávea, a poucos metros da praça. Barbosa acredita que os assaltantes a seguiram desde a saída do banco ou eram pessoas que conheciam sua rotina. Segundo uma testemunha do crime, Zeny Franca, dona do BG Bar, em frente à praça, o assaltante chegou em uma moto, com um comparsa, e roubou a bolsa de Cristina quando ela parou em frente a uma barraca de roupas. Zeny contou que, logo depois do disparo, o assaltante fugiu na carona da moto.

O crime aconteceu pouco antes das 13 horas, quando os restaurantes da região estavam cheios. Uma equipe do Corpo de Bombeiros, que tem uma unidade na rua atrás da praça, chegou logo ao local, mas não houve tempo de prestar socorro à empresária. “Eu já tinha ouvido falar diversas vezes de motoqueiros que assaltam pessoas que saem do banco, mas pela primeira vez foi um caso tão grave como este”, disse Zeny.

O delegado Barbosa informou que, ao contrário do piloto, o homem que atirou em Cristina não usava capacete. “Ele deu um único tiro na cabeça, foi um disparo covarde e cruel”, disse o policial.

Um pouco afastado da confusão do Baixo Gávea, o Guimas, fundado há mais de trinta anos, é um dos restaurantes mais conhecidos da Zona Sul da cidade, marcado pela informalidade, pelos clientes assíduos, entre eles muitos artistas, e os funcionários de longa data. Uma das marcas do restaurante são as toalhas de papel com lápis de cera coloridos usados pelos clientes para desenhar.

(Com Estadão Conteúdo)