Clique e assine a partir de 9,90/mês

Dom Eugênio Sales será velado na catedral do Rio

Por Da Redação - 10 jul 2012, 09h22

Por AE

Rio – O corpo do cardeal Dom Eugênio Sales será sepultado a partir das 12h desta terça-feira na Catedral Metropolitana, no centro do Rio. De acordo com a Arquidiocese, o arcebispo será homenageado com missas a cada duas horas durante todo o dia. As homenagens serão presididas pelo atual cardeal-arcebispo da Arquidiocese do Rio, Dom Orani Tempesta. O sepultamento está marcado para as 15h desta quarta-feira, na cripta da catedral.

Aos 91 anos, Dom Eugenio morreu de causas naturais na noite desta segunda-feira, por volta das 23h, na Residência Assunção, na zona norte da cidade. Segundo a Arquidiocese, nos últimos dias, a rotina de Dom Eugênio, que não possuía nenhuma enfermidade grave, limitava-se entre o quarto e o gabinete, onde lia jornais e assistia à TV.

Natural de Acari, no Rio Grande do Norte, Dom Eugenio chegou a ter o nome cogitado entre os candidatos a papa, depois da morte de João Paulo I.

Continua após a publicidade

Dom Orani João Tempesta, que substituiu Dom Eugênio em 2001, disse que nos últimos dois anos, em razão da idade, o arcebispo emérito começou a reduzir as atividades. “Ele já tinha dificuldades para andar, o raciocínio já estava um pouco lento”, afirmou.

Ele também destaca o importante trabalho realizado por Dom Eugenio, que nos últimos meses, apesar da idade, ainda tinha força de atender às pessoas em seu escritório. “Foi um grande representante da Igreja Católica junto à Santa Sé. Governou a Arquidiocese durante 30 anos, criou a campanha da fraternidade, trabalhou socialmente na favela do Vidigal e em outras mais, soube exercer sua função na sociedade, na igreja e no País. Durante os anos em que ficou afastado da Arquidiocese, escreveu artigos para jornais, tinha um programa semanal na TV”, acrescentou.

Em nota divulgada nesta madrugada, o governador do Rio, Sérgio Cabral, lamenta a morte de Dom Eugenio Sales e decreta luto oficial de três dias no Estado. “Dom Eugenio Sales era amado pelo povo do Rio de Janeiro. Nas últimas décadas, a sua liderança religiosa foi a mais importante do nosso Estado. Vamos decretar três dias de luto.”, afirmou Cabral.

Publicidade