Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Dez mil litros de sangue bovino mancham Rio Vermelho em Goiás

Um caminhão com a carga tombou próximo à cidade de Goiás (GO); análises sugerem que o produto não representa risco à população e ao meio ambiente

Por Da redação 27 fev 2018, 15h42

Um caminhão carregando 10.000 litros de sangue bovino tombou, na sexta-feira, a cinco quilômetros da cidade de Goiás (GO), antiga capital do estado, derramando o produto no Rio Vermelho e causando uma enorme mancha de sangue. A prefeitura da cidade informou que o produto já havia saído do município nesta terça-feira e seguia a uma velocidade de um quilômetro por hora em direção ao Rio Araguaia, onde deve chegar amanhã.

A Prefeitura de Goiás afirmou, também, que a carga havia sido vendida pelo frigorífico JBS na cidade de Mozarlândia a uma fábrica de ração em São Luís de Montes Belos – esta última responsável pelo transporte do produto. Disse, ainda, que os resultados de uma análise das amostras de água confirmaram que o sangue não apresentava conservantes tóxicos e, portanto, não representava risco à população. O rio já está liberado para uso dos moradores.

A prefeitura afirma que a empresa responsável pelo saneamento no estado, a Saneago, faz monitoramento constante das águas da região. O Rio Vermelho não é a principal fonte de abastecimento do município, mas as autoridades estavam preocupadas por causa das populações ribeirinhas e animais que habitam aquela região. A Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) está conduzindo uma investigação sobre o caso para averiguar outros possíveis danos ambientais decorrentes do acidente.

Uma imagem do rio manchado de sangue em frente à casa onde morou a poetisa Cora Coralina, e onde hoje funciona um museu em homenagem à artista, circulou pelas redes sociais.

Procurada pela reportagem, a JBS informa que “não é responsável pela carga citada. A Companhia reitera que todas as suas vendas são feitas de acordo com os critérios legais, o que inclui também a emissão de nota fiscal”.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)