Clique e assine com 88% de desconto

Desarmar o povo não evita ataques, diz Bolsonaro sobre tiroteios nos EUA

O presidente lamentou os ataques, mas disse que incidentes semelhantes aconteceram no Brasil, um país 'extremamente desarmado'

Por Da Redação - 4 ago 2019, 16h55

O presidente Jair Bolsonaro lamentou neste domingo a ocorrência de atentados a tiros nos Estados Unidos, no final de semana, que resultaram na morte de 29 pessoas, mas disse que “não é desarmando” as pessoas que tais casos podem ser evitados. “Lamento, já aconteceu no Brasil também. Lamento. Agora, não é desarmando o povo que você vai evitar isso aí”, disse ele a jornalistas ao deixar o Palácio da Alvorada.

“O Brasil é, no papel, extremamente desarmado e já aconteceu coisa semelhante aqui no Brasil”, acrescentou. O presidente é um defensor da posse e comercialização de armas de fogo e munição no país, uma de suas principais promessas de campanha.

Sobre o tema, Bolsonaro já colheu algumas derrotas no Parlamento, como no caso do decreto que flexibilizou a posse e o porte de armas. O texto foi suspenso pelo Senado e, diante da iminente confirmação da decisão pela Câmara, o governo decidiu revogar a medida.

Neste domingo, ao menos nove pessoas foram vitimadas em um ataque em Ohio. No sábado, 3, pelo menos 20 pessoas morreram em um tiroteio no Texas e na segunda-feira, 29, outras três pessoas foram assassinadas na California. No Brasil, em março, dois jovens abriram fogo contra alunos e professores de uma escola em Suzano, na região metropolitana de São Paulo, matando dez pessoas.

Publicidade

(Com Reuters)

Publicidade