Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Depoimento de Palocci a Moro nas manchetes de 07/09/17

Segundo ex-ministro, Lula e Emílio Odebrecht firmaram acordo envolvendo R$ 300 milhões em propinas

Por Da redação 7 set 2017, 07h17

Revelações do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci em depoimento ao juiz federal Sergio Moro estão nas manchetes dos principais jornais do país nesta quinta-feira. De acordo com Palocci, um acordo firmado entre o ex-presidente Lula e o empreiteiro Emílio Odebrecht envolveria propina de R$ 300 milhões, em um pacote que incluiu terreno para Instituto Lula, sítio em Atibaia e apartamento. Defesa do petista diz que ex-ministro sofre pressão 

Folha de S.Paulo
Lula e Odebrecht fizeram pacto de sangue, diz Palocci
Palocci afirmou ontem a Moro que a relação entre a Odebrecht e os governos Lula e Dilma era “movida a propina”. Os pagamentos ocorriam “em forma de doação de campanha, benefícios pessoais, caixa 1, caixa 2”, disse. Palocci foi ouvido na ação que apura possível compra de terreno pela Odebrecht para o Instituto Lula, em SP.

O Globo

Palocci: Lula fez ‘pacto de sangue’ com Odebrecht por propinas
Preso desde setembro de 2016 e tentando acordo de delação, Palocci disse que, em 2010, Lula fez um “pacto de sangue” com Emílio Odebrecht que incluiu “pacote de propinas”, citando o sítio de Atibaia, o terreno para o Instituto Lula, palestras com cachês de R$ 200 mil cada e mais R$ 300 milhões à disposição do ex-presidente. Dilma, afirmou Palocci, sabia e compactuava com o esquema criminoso. 

O Estado de S.Paulo
Lula e Odebrecht fizeram ‘pacto de sangue’ de R$ 300 milhões
O ex-ministro afirmou que, com a eleição de Dilma Rousseff, em 2010, Emílio Odebrecht “entrou em pânico” porque as relações da presidente eleita com a companhia não eram boas, e procurou Lula para oferecer um “pacote de propinas”. Palocci foi o principal interlocutor do PT com os empresários e o setor financeiro.

Valor Econômico
Leniência da J&F pode cair e afetar venda de ativos
Os compradores dos ativos vendidos pelo grupo J&F nos últimos dois meses estão apreensivos com a possibilidade de o acordo de colaboração premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista ser cancelado.

Estado de Minas
Palocci: Lula recebeu propina da Odebrecht
Durante duas horas, Palocci incriminou Lula num acerto do PT com a construtora Odebrecht para irrigar os cofres do partido. Disse que o ex-presidente sabia da compra do terreno para abrigar a sede do Instituto Lula e que o dinheiro para a legenda era gasto tanto em campanhas quanto em questões pessoais do grupo envolvido nas negociações.

Continua após a publicidade
Publicidade