Clique e assine a partir de 9,90/mês

Denúncia contra Lula: por dentro do tríplex

Como é o imóvel de 267 metros que enrolou Lula na Lava Jato

Por Da Redação - Atualizado em 14 set 2016, 15h31 - Publicado em 14 set 2016, 15h07

O Ministério Público Federal do Paraná denunciou nesta quarta-feira o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pela primeira vez, no âmbito da Operação Lava Jato. Se o juiz federal Sergio Moro aceitar a denúncia, Lula se tornará réu na Lava Jato.

A acusação pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro é relativa à reforma e propriedade do tríplex no Condomínio Solaris, no Guarujá. O local se tornou ponto turístico na cidade do litoral paulista desde que as suspeitas sobre Lula vieram à tona.

O tríplex de 267 metros quadrados passou por reforma ao custo de 800 000 reais. Ganhou acabamentos de primeira linha, elevador privativo e arranjos florais pagos pela OAS, uma das empreiteiras envolvidas no escândalo do petrolão. O imóvel acabou abandonado desde que virou alvo de investigações do Ministério Público.

A vista é deslumbrante, contrastando com a falta de manutenção. A piscina pode, inclusive, estar servindo de criadouro para o mosquito aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus.

Continua após a publicidade

Além de Lula, foram denunciados pela força-tarefa da Lava Jato a ex-primeira-dama Marisa Letícia, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, o empreiteiro Léo Pinheiro, da OAS, o ex-executivo da empreiteira Agenor Franklin Martins, o engenheiro Paulo Gordilho, Fábio Fori Yonamine e Roberto Moreira Ferreira.

Publicidade