Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Delator, ex-chefe da Receita paulistana para de ajudar e é preso

Arnaldo Augusto Pereira, apontado como líder da Máfia do ISS nas gestões de Serra e Kassab, também não apresentou provas das acusações que já tinha feito

Por Da Redação 18 abr 2017, 13h08

A Polícia Civil cumpriu na manhã desta terça-feira mandado de prisão contra o ex-subsecretário da Receita Municipal de São Paulo Arnaldo Augusto Pereira, que ocupou o cargo entre 2006 e 2009, durante as gestões de José Serra (PSDB) e Gilberto Kassab (PSD), e foi também secretário de Planejamento de Santo André, no ABC paulista, durante o governo de Aidan Ravin (PTB), entre 2010 e 2014.

Pereira, que já havia sido preso em dezembro, acusado de extorsão e lavagem de dinheiro, estava solto há cerca de um mês. Ele havia negociado um acordo de delação premiada com o Ministério Público Estadual (MPE) e, quando começou a falar, envolveu “autoridades com foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal”. Pelo teor das declarações, o MPE teve de encaminhar o caso à Procuradoria-Geral da República.

A negociação do acordo envolveu o relaxamento de sua prisão, que ocorreu com a concordância do MPE. Solto, entretanto, o ex-subsecretário parou de colaborar com os promotores e não apresentou as provas que prometeu para incriminar outros servidores e políticos. Assim, o juiz Marcos Fleury Silveira de Alvarenga, da 12ª Vara Criminal da Capital, determinou na segunda-feira, 17, nova prisão contra ele, após petição feita pelo MPE.

Pereira foi preso em sua casa, em Santo Amaro, zona sul da capital, assim que amanheceu. Ele seria levado para a carceragem do 31º Distrito Policial (Vila Carrão), na zona leste, por ter curso superior.

Esquema

De acordo com as investigações do MPE, ele foi o responsável por bolar o esquema de recebimento de propinas na Secretaria Municipal da Fazenda que ficou conhecido como a Máfia do Imposto Sobre Serviços (ISS).

Nesse esquema, fiscais da Prefeitura de São Paulo cobravam propina para reduzir o cálculo de impostos devidos por construtoras no momento da emissão do certificado de quitação do ISS, o chamado ISS Habite-se. A suspeita é de que essa prática tenha feito a prefeitura deixar de arrecadar R$ 500 milhões, em valores de 2013.

Após iniciar o modelo, entretanto, Pereira foi convidado para ser secretário de Planejamento de Santo André. Seu sucessor, Ronilson Bezerra Rodrigues, é apontado como o líder da máfia pelo MPE.

A prisão no fim do ano passado foi concedida após investigação do Ministério Publico Estadual apontar o recebimento de cerca de R$ 1,2 milhão por parte de Pereira em um esquema para liberação de um conjunto de imóveis residenciais em Santo André.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês