Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Decreto de Witzel retira estímulo à diminuição de mortes pela polícia

A diminuição de mortes em supostos confrontos com bandidos deixa de valer para cálculo de pagamento de bônus

Agora é oficial: matar menos deixou de ser um objetivo dos policiais do Rio de Janeiro. Decreto do governador Wilson Witzel (PSC) publicado nesta terça-feira, 24, retira do sistema de metas da polícia a redução de homicídios decorrentes de oposição à intervenção policial.

Até hoje, a diminuição de mortes em confronto tinha peso positivo no cálculo que prevê pagamento de bônus para os integrantes das polícias Civil e Militar. A partir do decreto – publicado quatro dias depois da morte da menina Ágatha Vitória Félix, de 8 anos – um aumento da letalidade policial não reduzirá a premiação por desempenho paga aos servidores.

Desde a posse de Witzel, em 1º de janeiro deste ano, até o fim de agosto, policiais do Rio declararam ter matado 1.249 pessoas em supostos conflitos, um aumento de 16,2% em relação ao mesmo período de 2018.

No decreto, que altera normas criadas em 2009, Witzel incluiu entre os objetivos da polícia a redução dos roubos de carga. Continuam a ter efeito positivo para pagamento de bônus a diminuição de homicídios dolosos, latrocínios, lesões corporais seguidas de morte e os roubos de veículos, a transeuntes, em coletivos e de celulares.