Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Daniel Cravinhos, o ex de Suzane Richthofen, sairá em lua-de-mel

Solto, o cúmplice da ex-namorada planeja arrumar emprego e viajar com a mulher, com quem se casou em 2014

Condenado a 38 anos e 11 meses de prisão pelo crime de duplo homicídio, Daniel Cravinhos, está livre, leve e solto. Ele deixou a cadeia de Tremembé na quinta-feira e seguiu direito para a casa da esposa, a biomédica Alyne Bento, na Zona Norte de São Paulo.

O jovem, que matou a mãe da ex-namorada, Suzane von Richthofen, a pauladas enquanto eles dormiam, finalmente vai poder sair em lua-de-mel com a mulher, com quem casou em um cartório em dezembro de 2014.

Os pais de Alyne, Valentino Bento, mecânico conhecido como Alemão, e a agente penitenciária Sumaia Bento, planejaram fazer uma festa para comemorar a chegada do genro, mas desistiram da ideia porque Alyne já perdeu dois empregos em laboratórios de análises clínicas da capital depois que seus patrões descobriram que ela era casada com um assassino.

No atual emprego, Alyne trabalha fazendo análises clínicas condição do anonimato. “É complicado trabalhar fazendo atendimento público com a mídia em cima dela, coitada”, comentou uma prima.

Com medo de que Alyne perca o emprego novamente, os pais retiraram das redes sociais todas as fotos de família em que Daniel aparece com a esposa, inclusive as da cerimônia de casamento em que os pombinhos trocam alianças e juras de amor.

Em uma das fotos, Alyne se declarava para o ex de Suzane com a seguinte mensagem: “Eu te amo com todo o meu amor”. Em outra postagem, a biomédica lembrava do dia que conheceu Daniel quando foi visitar um irmão acusado de furto que era colega de cela do seu marido. “Fui visitar o meu irmão e tive uma surpresa maravilhosa. Uma companhia mais do que agradável”.

Daniel não terá muito tempo para curtir a esposa em tempo integral. Pelas regras da Vara de Execuções Penais imposta ao condenado, ele tem que arrumar emprego fixo com carteira assinada até junho, caso contrário terá de voltar para a prisão.

Isso não é tarefa fácil para um preso famoso. Seu irmão, Cristian Cravinhos, que também ajudou a matar os pais de Suzane, deixou a Tremembé em agosto do ano passado e até agora pena feito um condenado para se recolocar no mercado. Até agora só conseguiu “bicos” e, mesmo sendo subemprego, geralmente ele é dispensado quando se descobre quem ele é.

Já era para Daniel estar em liberdade desde o ano passado, mas ele acabou se envolvendo com traficantes de anabolizantes que comercializavam produtos de uso restrito em hospitais dentro da cadeia e teve de regressar para o regime fechado por mais três meses. Ao todo, entre os regimes fechado e semiaberto, Daniel ficou 15 anos e 3 meses preso. Segundo a Vara de Execuções Criminais de Taubaté, ele ganhou a liberdade por ter bom comportamento e pela redução de pena obtida com dias de trabalho. Uma das funções que ele exerceu dentro do presídio, por exemplo, foi a confecção de cadeiras e mesas utilizadas em escolas públicas.

Suzane, que foi condenada a 39 anos sob a acusação de tramar a morte dos pais, continua na penitenciária feminina de Tremembé, em regime semiaberto. Mas ela já conseguiu um laudo criminológico atestando que está apta a voltar a conviver em liberdade. Falta apenas os seus advogados formularem o pedido à Justiça e esperar pela soltura definitiva.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    Apoio incondicionalmente a prisão perpétua, tem certas pessoas que não deveriam sair da cadeia. Andreas Albert von Richthofen (pelo que li) sofre até agora pela morte dos pais.

    Curtir

  2. Este tipo de crime, com toda a crueldade praticada, teria nos EUA uma pena de prisão perpétua (ou pena de morte, dependendo da região) e… ok, não estamos lá. Agora, uma coisa que NUNCA entenderei é como uma pessoa casa com um assassino como este? Eu sei que a religião, deveras obtusa neste caso, tem um fator psicológico imenso nisto tudo e também sei que o amor não tem fronteiras ou barreiras, mas mesmo assim não consigo entender. Porque a VEJA não faz uma longa reportagem sobre o assunto?

    Curtir

  3. Existem mulheres que são as piores pragas do mundo e essa vagabunda da biomédica Alyne Bento é uma delas, isso é pior que das piores prostitutas.

    Curtir

  4. Johnny Bravo

    O Brasil é definitivamente uma piada de mau gosto…

    Curtir

  5. Pacífico Guerra

    A bosta da Veja sempre exaltando, como sempre, bandidos.

    Curtir

  6. Francisco Narciso

    Essa mulher precisa ser estudada. Pode ser alguma mutação.

    Curtir

  7. Artur Britto

    Tomara que esse assassino mate essa mulher burra que vai se casar com esse satanás do inferno.

    Curtir

  8. Parabéns ao casal, a “justiça brasileira “, quanta felicidade, quanta alegria; há! Os pais daquela louca estão a onde mesmo? Este país só serve a bandido.

    Curtir

  9. Que lindo! Matar a pauladas duas pessoas inocentes dormindo e depois sair em lua de mel com a esposa amada. Esse país é ou não um lixo ?

    Curtir

  10. Joel Carvalho

    Nesse país de impunidades certas, parece que a única punição que criminosos asquerosos como esse e seus apoiadores e admiradores sofrem, é mesmo apenas a reprovação social.

    Curtir