Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cresce apoio à descriminalização do aborto, aponta Datafolha

Favoráveis à discriminalização ainda são minoria diante dos 57% que acreditam que a mulher deve ser punida por abortar

Pesquisa do instituto Datafolha apontou que o número de brasileiros favoráveis à descriminalização do aborto aumentou de 23%, no ano passado, para 36% em 2017. Apesar do crescimento de 13 pontos percentuais, eles são minoria diante dos 57% que acreditam que a mulher deve ser punida e ir para a cadeia por fazer um aborto. Dos entrevistados, 7% não souberam se posicionar sobre o tema.

No total, 2.765 pessoas participaram do levantamento, realizado em 192 municípios do país nos dias 29 e 30 de novembro.

A legislação brasileira autoriza o aborto quando há risco de morte da mãe ou quando ela foi vítima de estupro. Nessas situações, mais brasileiros consideraram aceitável interromper uma gravidez: no primeiro caso, 61% acreditam que a mulher deve ter direito a abortar, e no segundo, 53%.

Perfil

Fatores como sexo, idade, renda, escolaridade, crença e local de residência foram considerados no levantamento. A pesquisa revelou que homens e mulheres tem opiniões similares no assunto. 58% dos homens e 56% das mulheres são favoráveis à descriminalização – o que significa índices equivalentes, uma vez que a margem de erro é de dois pontos percentuais.

Os resultados mostraram que ser jovem, ter alta escolaridade e alta renda familiar são características recorrentes nas pessoas que se declaram a favor do fim do crime de aborto. Dentre os brasileiros que completaram apenas o ensino fundamental, 71% acreditam que mulheres que abortam devem ser punidas. Essa taxa cai para 34% entre as pessoas que possuem ensino superior completo.

A diferença percentual percebida para diferentes escolaridades é parecida entre aqueles que têm renda mensal superior a dez salários mínimos e os brasileiros que ganham até dois salários mínimos: 70% dos que ganham mais apoiam a descriminalização, enquanto apenas 26% do segundo grupo se diz a favor da punição para quem aborta.

Analisando as faixas de idade dos entrevistados, os mais contrários à punição são os jovens de 16 a 24 anos: 44% são contra a prisão de mulheres que abortam. No outro extremo, 61% dos brasileiros que têm entre 45 a 59 anos acreditam que o aborto deve continuar sendo crime no Brasil.

A pesquisa mostrou que a maioria dos evangélicos é a favor da pena de prisão para a prática: 65% declararam essa posição. Entre os ateus, essa taxa cai para 17% — ou seja, 83% apoiam a descriminalização.

O Sudeste foi a região que contou com o maior índice de brasileiros contra a punição do aborto: foram 44%. Norte e Nordeste ficaram tecnicamente empatados com 65% e 66%, respectivamente, que se disseram a favor da punição do aborto.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Weliano Pires

    “Seu corpo, suas regras”. Concordo. A mulher pode fazer o que quiser com o seu corpo: Abster-se de relações sexuais, fazer cirurgia para não engravidar, usar preservativos, suicidar-se, etc. Porém, o corpo do bebê não é o corpo da mulher e não deve ser assassinado para atender às regras assassinas dela. Simples assim.

    Curtir

  2. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    O feto tem direito a vida!

    Curtir

  3. Cristiano Floresde Limas

    Ué, se embriões têm direito à vida, o que fazer com os mais de 150 mil embriões congelados pelo Brasil? Cadê os crentes defensores da “vida” neste momento? Por acaso, vão fazer campanha e arrumar umas 150 mil barrigas de boas cristãs para adotá-los?

    Curtir

  4. Antonio Carlos Albuquerque Diniz

    Quem estampa a propaganda é uma loirinha ????? Hummmm !!!!!! A loirinha quer abortar !!!!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

  5. VERDE e AMARELO

    A ONU está promovendo o GENOCÍDIO BRASILEIRO, ela trouxe a explosão da criminalidade através da subversão do veneno chamado “Direitos Humanos”, é de lá que vem a ordem para acabar com a PM, é de lá que vem a ordem para liberação de drogas, é de lá que vem a lei de migração, é de lá que vem a psicopata sanha do aborto! A ONU é esquerdista, muçulmana, comunista e testa de ferro da NOVA ORDEM MUNDIAL e todos Partidos são FANTOCHES TRANSNACIONAIS E INIMIGOS DO POVO!

    Curtir

  6. Cesar Tomich

    Abortar é MATAR, não é fazer uma mágica e o filho desaparecer no ventre de sua mãe… Uma mulher tem o direito sobre seu corpo mas não sobre o corpo do filho que espera em seu ventre… Não pode brincar de Deus, decidindo quem em seu ventre vai MORRER ou VIVER….

    Curtir