Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Coronavírus: além dos EUA, veja países onde brasileiros não podem entrar

Entre as nações nas quais brasileiros estão vetados figuram os Estados Unidos, o Japão e a Grécia

Por Da Redação Atualizado em 31 Maio 2020, 16h00 - Publicado em 31 Maio 2020, 15h10

Em busca de evitar o aumento expressivo de casos importados no novo coronavírus,  diversos países do mundo impuseram medidas restritivas para a entrada de estrangeiros nos últimos meses. Para o Brasil, a mais emblemática das medidas foi anunciada no domingo 24, quando Donald Trump — aliado de primeira hora do presidente brasileiro Jair Bolsonaro —, com receio de contágio, anunciou a proibição a entrada de quem viesse do Brasil. Os países são os dois mais afetados pela pandemia em número de casos, de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins.

A medida, no entanto, não é isolada. Em pelo menos dois outros países, casos da Grécia e do Japão, o Brasil está de fora da lista de nações nas quais os estrangeiros são aceitos durante a pandemia.  Em outras regiões do mundo, no entanto, a restrição existe de forma global, e, portanto, também atingem os brasileiros.

Reportagem de capa da VEJA desta semana mostra como a má condução pelo governo do combate à pandemia, os arroubos autoritários de Bolsonaro e a deterioração econômica deixaram o Brasil isolado internacionalmente,

Veja alguns países onde a entrada de brasileiros está temporariamente vetada:

  • Japão: o país proibiu, desde o mês de abril, a entrada de brasileiros e estrangeiros de quase 90 nacionalidades. Só serão liberadas pessoas em casos “excepcionais”.

    Canadá: está vetada a entrada de qualquer estrangeiro, exceto os americanos.

    Grécia: as atividades estão em ritmo de abertura para estrangeiros de 29 países, Estados Unidos e Brasil não estão na lista de origem dos viajantes autorizados a entrar no país.

    Continua após a publicidade

    Espanha: o país estendeu a restrição de voos internacionais até o dia 15 de junho.

    Itália: após uma restrição global, o país prepara-se para flexibilizar as medidas em 3 de junho. A medida é inicialmente dedicada a procedentes de países da União Europeia do espaço Schengen ou do Reino Unido.

    China: é mantida a restrição de viagens provenientes de qualquer país do mundo para evitar uma segunda onda de contágio.

    Austrália: o país determinou quarentena global, com exceçõess específicas, a exemplo de médicos que vão trabalhar no combate à doença.

    Argentina: desde março, o país suspendeu voos provenientes de regiões afetadas pela Covid-19, incluíndo a União Europeia.

    Chile: Há a liberação apenas para estrangeiros residentes. Conexões e vôos de escala também estão liberados.

    (Com AP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade