Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com passageiros indignados, barcas ficam mais caras neste sábado

Reajuste foi adiado para o fim de semana, quando o movimento nas estações é bem menor. Nova manifestação está programada para a segunda-feira

Com um aumento de 60,7%, a nova tarifa das Barcas S/A entra em vigor neste sábado em meio a críticas e protestos de passageiros. O reajuste, que eleva o valor do bilhete de 2,80 reais para 4,50 reais, estava previsto para o dia 1º de março, mas foi estrategicamente adiado para o final de semana numa clara manobra para evitar uma possível adesão em massa às manifestações.

Um novo protesto está programado para a segunda-feira, primeiro dia útil da nova tarifa. Segundo Flávio Serafim, um dos organizadores, haverá um ato pela manhã na Praça Arariboia, em Niterói, e outro no fim da tarde, na Praça XV, no Rio de Janeiro.

“Não haverá protesto no sábado. Eles adiaram o reajuste para o fim de semana justamente porque sabem que o movimento de passageiros é bem menor e também é mais difícil mobilizar as pessoas. Na segunda-feira, esperamos ter mais adesão, já que começam as aulas na UFF”, afirma Serafim.

Um dos motivos da revolta dos passageiros é a má qualidade do serviço, problema que já foi admitido publicamente pelo secretário estadual de Transportes Júlio Lopes. Na quinta-feira, cerca de 500 pessoas participaram da manifestação em frente à Estação Arariboia, em Niterói. Na véspera, a Justiça do Rio concedeu uma liminar em favor da empresa, proibindo a presença de integrantes do PSOL-RJ, sob pena de multa no valor de 5 milhões de reais.

Estudo – Um relatório da Universidade Federal de Santa Catarina, elaborado a pedido da Agência Reguladora de Transportes do Estado do Rio (Agetransp), aponta que a empresa Barcas S/A acumulou um déficit operacional de 13.886.302,45 reais no período entre 2003/2004 e 2007/2008. O documento propõe tarifas diferenciadas para cada trecho, fazendo inclusive distinção entre dias úteis e não úteis. Os valores das tarifas variariam, de acordo com a proposta, entre 3,18 (Rio-Niterói, todos os dias) e 47,67 reais (Mangaratiba-Abraão, nos feriados e fins de semana).

O governo do estado optou por uma tarifa única, de 4,50 reais. No entanto, a ideia é que os passageiros se cadastrem e adquiram o cartão Bilhete Único, através do qual pagarão 3,10 reais – a diferença será subsidiada pelo governo estadual através do Fundo Estadual de Transporte. O cadastro pode ser feito nas estações ou pela internet.