Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Cinco são mortos e três ficam feridos em São Paulo

Agentes públicos seguem como principais vítimas da onda de crimes; um delegado e um guarda civil foram baleados, e o irmão de uma ex-PM foi morto

Por Da Redação 7 nov 2012, 08h01

A rotina de crimes na madrugada paulistana segue fazendo vítimas pela cidade. Pelo menos cinco pessoas foram mortas e três ficaram feridas em um intervalo de seis horas entre a noite desta terça-feira e a madrugada desta quarta na Região Metropolitana de São Paulo. Um delegado de polícia e um guarda civil foram baleados e o irmão de uma ex-policial militar está entre os mortos, segundo a polícia. Só neste ano, 90 policiais foram mortos em ataques.

O delegado Diogo Dias Zamut Júnior, assistente do 57º Distrito Policial (Parque da Mooca), foi atingido no ombro. De acordo com o policial, ele foi vítima de uma tentativa de homicídio na Rua Guaiaúna, próximo ao Viaduto Aricanduva, na região da Penha, Zona Leste de São Paulo, por volta das 22 horas de terça-feira.

Apesar de ter sido abordado por dois homens em uma moto segundos após deixar uma agência bancária do Bradesco, o delegado afirmou que os bandidos não anunciaram assalto. Ainda segundo o delegado, que utilizava um colete de proteção no momento da abordagem, houve troca de tiros entre ele e os criminosos e um dos bandidos foi ferido durante o confronto. Nada foi levado pela dupla.

Mesmo baleado, o delegado conseguiu fugir na contramão e pediu ajuda na base da 3ª Companhia do 51º Batalhão da Polícia Militar, localizada ao lado do 10º Distrito Policial da Penha, onde a ocorrência foi registrada. Ao chegar na base da PM, Zamut identificou-se como delegado e desmaiou. O policial foi encaminhado para o pronto-socorro do Tatuapé, atendido e liberado.

Leia também:

Filho de ex-PM da Rota e mais 5 são mortos em São Paulo

Média de mortes em São Paulo passa de quatro por dia

Alckmin e Cardozo anunciam agência para combater crime organizado em SP

Em Cotia, um guarda civil foi ferido de raspão na cabeça, por volta das 19 horas, quando, de moto, retornava para casa. Segundo a polícia, o agente municipal de segurança foi abordado na altura do nº 2.000 da Estrada da Fazendinha, no bairro Portal de Carapicuíba, em Carapicuíba, cidade vizinha a Cotia.

Continua após a publicidade

A dupla teria anunciado assalto e atirou contra a cabeça da vítima, que reagiu. A bala atravessou o capacete do guarda civil, que foi ferido de raspão. A dupla levou a moto do guarda, porém abandonou o veículo na Estrada Velha de Itapevi. O agente foi atendido no Hospital Geral de Carapicuíba e passa bem. Os bandidos continuam foragidos. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial da cidade.

Por volta das 23h30, quatro homens, em duas motos, abordaram um grupo de cinco pessoas e balearam duas na Rua Nicolino Mastrocola, em Itaquera, na Zona Leste. Leonardo da Silva, de 19 anos, e Victor Felipe Borges Martins, de 25, irmão de uma ex-policial militar, correram ao perceber que os ocupantes das duas motos estavam armados, mas foram alcançados na Rua Tomaso Ferrara e atingidos pelos tiros. Eles morreram quando eram atendidos no pronto-socorro Planalto. As outras três pessoas foram poupadas pelos atiradores, que não foram localizados pela polícia. O duplo homicídio foi registrado no 24º Distrito Policial (Ponte Rasa).

Praticamente no mesmo horário, o estudante João Massao Shimabukuro, de 34 anos, recém-chegado de uma viagem ao Japão, foi baleado na Rua Madureira Calheiros, no Jardim Vila Carrão, Zona Leste da cidade. A vítima caminhava para a casa da mãe, na Rua Sinhá-Moça, próximo ao local do crime, quando foi abordado por ocupantes de uma moto. Baleado, não se sabe ainda se numa tentativa de assalto, João Massao morreu quando era atendido no Hospital Geral de São Mateus. O caso foi registrado no 49º Distrito Policial (São Mateus). Nenhum suspeito foi detido.

Outro homicídio ocorreu na região da Freguesia do Ó, na Zona Norte de São Paulo. Um homem foi baleado por desconhecidos à 1 hora desta quarta-feira na esquina da Rua Indiaporã com a Rua João Cordeiro. Policiais militares foram acionados por moradores que ouviram os disparos e, ao chegarem no local, encontraram a vítima caída. Mesmo levada para o Hospital Geral de Vila Penteado, ela não resistiu e morreu. O caso foi registrado no 13º Distrito Policial (Casa Verde).

Outras duas pessoas foram baleadas entre as 21h30 e 22h30 de terça-feira em Guarulhos, onde a vítima morreu, e Cotia. Na Rua Fraternidade, no Jardim Coimbra, em Cotia, um homem foi ferido a tiros por desconhecidos que, em duas motos, abordaram um grupo reunido na calçada. A vítima foi atendida na unidade de pronto atendimento do bairro Atalaia e transferida para o Hospital Geral de Cotia, mas passa bem e está fora de perigo.

Já o homicídio em Guarulhos ocorreu na Avenida Lajeadão, no bairro Cidade Soberana II. Alertados por moradores que ouviram os disparos, PMs foram até o local e encontraram um homem morto. Não há detalhes sobre o crime, que foi registrado no 7º Distrito Policial (São João).

Operação Saturação – A PM estendeu a Operação Saturação para Parada de Taipas (Zona Norte), Santa Inês (Zona Leste) e Guarulhos na manhã desta quarta-feira. No total, as três regiões receberão reforço policial com 400 PMs, que já realizam o patrulhamento ostensivo utilizando setenta viaturas, setenta motos, dois helicópteros e três cavalos.

A Operação Saturação começou no último dia 29 na favela de Paraisópolis, Zona Sul. A ocupação policial não tem previsão de data para acabar. Segundo a polícia, o objetivo é aumentar a segurança da população através da identificação e prisão de foragidos e apreensão de armas e drogas.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade