Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Cinco morrem em quinze dias de crise nos presídios de PE

Paulo da Silva Tavares, de 38 anos, não sobreviveu a ferimentos depois de um motim na tarde de domingo no Complexo Prisional do Curado, no Recife

Por Da Redação 2 fev 2015, 09h14

A crise no sistema prisional de Pernambuco registrou na manhã desta segunda-feira a quinta morte nos últimos quinze dias. Segundo informações da TV Globo, o presidiário Paulo da Silva Tavares, de 38 anos, não sobreviveu aos ferimentos depois de um motim na tarde de domingo no Complexo Prisional do Curado, no Recife (PE). Ele passou por uma cirurgia no Hospital Otávio de Freitas, onde foi socorrido, mas não resistiu.

Ao todo, nove presos ficaram feridos – quatro deles precisaram de atendimento médico e foram encaminhados a Unidades de Pronto-Atendimento (UPA).

Leia também:

Detento morre após motim em presídio no Recife

Em Recife, rebelião em presídio já deixou 3 mortos

Continua após a publicidade

Segundo a Secretaria de Ressocialização de Pernambuco, houve um confronto entre detentos de dois pavilhões do Presídio Juiz Antônio Lins de Barros, uma das unidades do complexo do Curado. A confusão começou depois das visitas de parentes, no fim da tarde.

A Polícia Militar invadiu a penitenciária e fez disparos com balas de borracha para controlar o motim. O Batalhão de Choque da PM faz plantão na frente do presídio nesta segunda-feira.

No sábado, outro preso morreu no mesmo hospital. David Bezerra dos Santos, de 20 anos, foi levado depois de ficar ferido durante um motim causado pela demora na liberação da visita íntima no presídio Antônio Lins de Barros.

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), já declarou estado de emergência no sistema penitenciário. Ele também determinou intervenção no Centro Integrado de Ressocialização de Itaquitinga.

Na semana passada, uma rebelião que durou três dias deixou três mortos, entre eles um sargento da PM e um detento decapitado, no Complexo do Curado (antigo Aníbal Bruno), o maior de Pernambuco.

Continua após a publicidade
Publicidade