Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Cid Gomes e aliados confirmam saída do PSB

Grupo deixa o partido para apoiar a candidatura de Dilma. Nova filiação do governador do Ceará e de seus correligionáriosserá anunciada na terça-feira

Por Da Redação - 27 set 2013, 05h34

O governador do Ceará, Cid Gomes, confirmou, no final da noite desta quinta-feira, a saída de seu grupo político do PSB. Após reunião de mais de três horas com cerca de 200 correligionários em Fortaleza, Cid disse que a definição sobre a nova filiação partidária só acontecerá na próxima terça-feira, a três dias do prazo final para mudanças partidárias para as eleições de 2014.

Leia também:

PSB de Eduardo Campos deixa oficialmente o governo Dilma

Falta ‘traquejo’ e ‘humildade’ ao governo Dilma, diz Campos

Publicidade

Cid e seus aliados entregarão nesta sexta toda a documentação necessária para a desfiliação do PSB, para assim poder apoiar a tentativa de reeleição de Dilma Rousseff, em detrimento à candidatura do presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco Eduardo Campos. O grupo de Cid recebeu cinco propostas de filiação e nenhum delas foi do PT. “Não fomos convidados nem nos convidamos para o PT. Estamos estudando os convites do PROS, PDT, PP, PSD e PCdoB”, revelou Cid.

Nova sigla – A maioria do grupo de cerca de 200 pessoas entre prefeitos, vice prefeitos, vereadores, quatro deputados federais e nove deputados estaduais tende a ingressar no PROS – por ser um novo partido e, portanto, não haver o perigo de perda de mandato. O deputado estadual licenciado Ivo Gomes, irmão de Cid, no entanto, defende o ingresso do bloco no PDT, onde já está a ex-mulher de Ciro Gomes, a deputada estadual Patrícia Saboya.

Participaram da reunião o ex-ministro Ciro Gomes, o vice-governador Domingos Filho, o presidente da Assembleia Legislativa, José Albuquerque, e o prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio – além de 37 prefeitos, quatro deputados federais, nove deputados estaduais e dezenas de vereadores.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade