Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ciclista que perdeu o braço deixa hospital

David Sousa ficou quinze dias internado após ter o braço decepado em um atropelamento na Avenida Paulista

Por Da Redação - 25 mar 2013, 13h54

O ciclista David Santos Sousa, de 21 anos, recebeu alta por volta das 9 horas do sábado, do Hospital das Clínicas, na Zona Oeste da capital paulista. Ele estava internado desde o dia 10, quando foi atropelado na ciclofaixa da Avenida Paulista. O hospital confirmou a informação da alta de Sousa na manhã desta segunda-feira. Agora, David, que era operador de rapel, vai passar por sessões de fisioterapia.

Segundo o advogado que o representa, Ademar Gomes, desde sua saída do hospital Sousa está em um flat nos Jardins, na Zona Sul. O endereço e o telefone do local, no entanto, não foram divulgados a pedido da família do ciclista.

Leia também:

Recurso do MP contra atropelador da Paulista é negado

“Passei a acreditar em destino”, diz estudante que socorreu ciclista atropelado na Paulista

Na quinta-feira, dia 21, o atropelador de Sousa, o universitário Alex Kozloff Siwek, também de 21 anos, foi solto pela Justiça, após um pedido de habeas corpus de seus advogados. Siwek não prestou socorro à vítima e, depois, jogou o braço de Sousa em um córrego.

Siwek vai responder ao processo em liberdade. O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) apresentou denúncia contra o motorista por tentativa de homicídio com dolo eventual – quando se assume o risco de causar dano. No caso, Siwek apresentava sinais de embriaguez. Ele se recusou a fazer o teste do bafômetro e seu advogado nega que o motorista tenha bebido antes de dirigir. Antes da apresentação da denúncia pelo MP, porém, uma decisão do juiz Alberto Anderson Filho havia tirado o caso da alçada do Tribunal do Júri, explicando que só seria aceita a hipótese de dolo eventual se a vítima tivesse de fato morrido. O juiz defende que é um caso de lesão corporal gravíssima.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade