Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Chuva no fim de semana faz índice do Cantareira subir

Todos os seis principais conjuntos de represas de São Paulo tiveram alta com chuvas que ultrapassaram a taxa de 20 milímetros, maior do mês

Por Felipe Frazão 11 Maio 2015, 10h31

As chuvas do fim de semana em São Paulo fizeram o nível de água subir nesta segunda-feira em todos os sistemas de abastecimento monitorados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), já no período considerado de estiagem. Em todos os seis conjuntos de represas, as chuvas ultrapassaram a taxa de 20 milímetros, a maior do mês.

Em situação mais grave, o Sistema Cantareira, fonte de abastecimento para 5,4 milhões de pessoas na Região Metropolitana da capital paulista, voltou a registrar alta após quatro quedas desde 28 de abril. A evolução foi de dois 0,2 ponto porcentual. O índice negativo passou de – 9,7% para – 9,5%, ainda abaixo do nível zero – o que significa que o sistema ainda opera exclusivamente com a quantidade de água acrescida pelo bombeamento de duas cotas de volume morto ao longo do ano passado.

Com bônus, SP economiza uma represa da Guarapiranga

Sabesp reconhece: uso do volume morto do Cantareira poderia ter sido evitado

Agora, as represas do Cantareira possuem, juntas, 193,8 bilhões de litros, 93,7 bilhões de litros a menos do que a soma da reserva técnica: 287,5 bilhões de litros.

Segundo o cálculo que compara o volume armazenado com o volume útil original do Cantareira (982 bilhões de litros), o índice é agora de 19,7%, ante 19,5% no dia anterior. De domingo para esta segunda, choveu na região do Cantareira 23,5 milímetros, quase toda a pluviometria acumulada do mês de maio, de 30,3 milímetros até agora, segundo dados da Sabesp.

Reservatórios – A Sabesp registrou alta de 0,3 ponto porcentual no Sistema Alto Tietê, outro que conta com uso de volume morto desde o ano passado. O índice passou de 22,6% para 22,9% nesta segunda-feira. A pluviometria acumulada em maio (51,4 milímetros) já chega a quase o total da média histórica para o mês, de 59,6 milímetros.

No Guarapiranga, o índice atingiu 81,8% ante 80,9% no domingo. No Alto Cotia, chegou a 66,4 % nesta segunda, 0,9 ponto porcentual a mais que nas 24 horas anteriores, quando o nível de água estava em 65,5 %.

O Sistema Rio Grande, quase repleto, tem agora volume armazenado de 95,6%. No domingo, o índice estava em 94,8% do total. E o Rio Claro passou de 52,7 % para 53,3 % de sua capacidade, operando com pouco mais que a metade de seu volume total.

Continua após a publicidade
Publicidade