Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Chuva abre cratera na Dutra; alagamento bloqueia rodovia

Região Metropolitana de São Paulo amanheceu nesta terça-feira com árvores caídas nas ruas, semáforos fora de operação e pontos de alagamento

Por Da Redação 23 dez 2014, 13h01

A tempestade que atingiu a Grande São Paulo e cidades do litoral paulista nesta segunda-feira deixou um rastro de destruição pela região e provocou transtornos à população local na manhã desta terça-feira. Uma cratera se abriu na via marginal da Rodovia Dutra, principal ligação entre São Paulo e Rio de Janeiro, na altura de São José dos Campos (SP), no quilômetro 152, barrando um dos acessos à cidade do interior paulista. A rodovia Padre Manoel da Nóbrega, via que conecta a capital a municípios do litoral sul do Estado, também está bloqueada na altura do quilômetro 243, pois um córrego que passa ao lado da via transbordou e invadiu a pista.

Na capital paulista, os estragos do temporal também foram grandes. O administrador de empresas Ricardo Galvão Mendes, de 33 anos, morreu após uma árvore cair em cima do táxi onde estava. Mendes viajava no banco ao lado do motorista, que teve apenas ferimentos leves e passa bem. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfedo (CET), ao menos treze árvores caíram em ruas da cidade e cerca de noventa semáforos pararam de funcionar. O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo (CGE), registrou por volta das 13 desta terça-feira ao menos quatro pontos de alagamento – na noite de segunda, eram 64. Além disso, todas as linhas de Metrô estão circulando com velocidade reduzida por causa dos trilhos molhados.

De acordo com o CGE, a previsão é de que o clima instável permaneça nesta terça-feira com a possibilidade de chuva ao longo do dia, mas sem a mesma intensidade de ontem. O temporal foi causado pela chegada de uma frente fria vinda da região Sul. Apesar do alto nível de pluviosidade, a chuva não foi suficiente para aumentar o nível do Sistema Cantareira, que abastece cerca 6,5 milhões de pessoas e está operando a 6,5% da sua capacidade original há cinco dias.

Leia também:

Haddad-2015: agora não tem mais desculpa

Fortes chuvas (quem diria!) voltam a castigar São Paulo

Continua após a publicidade
Publicidade