Clique e assine com 88% de desconto

Chalita: ‘Kassab usa a máquina da prefeitura’

Candidato do PMDB acusou prefeito de mudar secretariado para reforçar a campanha do aliado José Serra, do PSDB

Por Thais Arbex - 17 jul 2012, 17h17

O candidato do PMDB à prefeitura de São Paulo, deputado Gabriel Chalita, acusou nesta terça-feira o prefeito Gilberto Kassab (PSD) de usar a máquina da prefeitura nas eleições deste ano. “É lamentável. Toda hora tira secretário, põe secretário. É como se a administração não tivesse a menor importância. É uma bagunça. É difícil até saber quem são os secretários do Kassab”, afirmou Chalita durante a abertura da Feira Internacional da Panificação, Confeitaria e do Varejo Independente de Alimentos, na capital paulista. “A máquina não deveria ser usada para eleição de candidatos. Cada candidato deveria fazer sua campanha e o prefeito deveria se colocar na posição de um estadista, de um homem que foi eleito para governar a cidade até o ultimo dia de seu mandato”, disse Chalita. Kassab fará nos próximos dias mais uma reforma em seu secretariado para turbinar a campanha de seu padrinho político, o ex-governador José Serra (PSDB), na disputa pela sucessão municipal. Um dos que deixará o cargo é o secretário de Esporte, Bebetto Haddad, do PMDB, partido de Chalita. Isolado no partido desde a morte do ex-governador Orestes Quércia, Bebetto Haddad se negou a cumprir determinação da Executiva Estadual da legenda para se afastar da gestão Kassab, o que daria mais liberdade a Chalita para criticar o prefeito. Ex-presidente do PMDB paulistano, Bebetto Haddad tem, no entanto, resistido à ideia de se desfilar do partido que agora é comandado pelo vice-presidente Michel Temer. Nos bastidores, ele diz que só deixa o partido se for expulso. “Sou contra a expulsão. Eu não pediria o afastamento de ninguém. Ele faz o que quiser”, afirmou Chalita. Segundo o candidato peemedebista, a possível expulsão de Haddad é uma decisão do diretório estadual. “Política é escolha. Se ele escolheu um candidato, ele tem de fazer campanha para este candidato”, disse Chalita. Ele afirmou ainda que já era esperado o apoio de Bebeto Haddad a Serra. “Ele quis ficar na prefeitura, ficar no cargo dele junto com Kassab.” Chalita questionou a atuação partidária do prefeito Gilberto Kassab, presidente nacinal do PSD, em Belo Horizonte. Kassab interferiu no diretório municipal para assegurar que o seu partido apoiasse a candidatura do petista Patrus Ananias. “Como é que um prefeito sai de São Paulo e vai para Belo Horizonte fazer uma interferência? Ele deveria estar cuidando da cidade. Um prefeito não deveria estar na presidência de um partido”, afirmou Chalita.

Publicidade